Quinta-feira, 14 de Agosto de 2008

Qualidade de Vida e Demografia

A realidade demográfica do concelho de Viana do Alentejo é esta (Clicar em cima da Imagem - Pirâmide - para ver melhor). São dados dos Censos 2001, mas a actualidade não andará muito distante disto. Podemos ver uma estrutura demográfica duplamente envelhecida: envelhecida no topo da pirâmide onde podemos visualizar o aumento da esperança de vida entre os idosos; também envelhecida na base, onde ainda assim se verificam alguns nascimentos de crianças, mas onde claramente a base da pirâmide é pouco larga, os casais não asseguram o índice de descendência média que deveria ser de 2,1 filhos por casal, em Portugal anda à volta de 1,4.

 

Vemos também como há muitos idosos, inclusivamente o aumento de uma chamada 4.ª idade onde é possível ver muitas pessoas com mais de 80 anos.
 
A meio da pirâmide vemos que a população adulta e trabalhadora, ali por volta dos 50-60 anos, não é tão significativa quanto isso em termos demográficos, calculo que isso também se deva à necessidade que muitos desses homens e mulheres tiveram de emigrar em busca de melhores condições de vida nas grandes áreas metropolitanas ou nos países estrangeiros.
 
Planeamento 
É fundamental planear o futuro para poder fazer investimentos e apostas estratégicas bem fundamentadas. Será que o Município de Viana do Alentejo tem uma projecção demográfica para o seu concelho? É fundamental conhecer qual a realidade demográfica e a estrutura etária da sua população a médio e longo prazo afim de investir e fazer obras de acordo com essa realidade, a isto chama-se planeamento prospectivo. 
 
Qual é a estratégia política para Viana? Atrair jovens casais, atrair população sénior reformada, famílias de velhos reformados estrangeiros, atrair população imigrante trabalhadora?...
 
Existem particularmente algumas formas para aumentar e/ou manter a população: aumentar a natalidade nas famílias, melhorar a qualidade de vida dos idosos e promover a fixação de população migrante.
 
Para a fixação das pessoas, fundamentalmente interessa haver emprego para estas e uma acção social eficaz. 
 
Emprego
As pessoas deslocam-se e fixam-se muito em virtude de haver ou não trabalho. Um número significativo de pessoas adquiriu casa no concelho, estou a falar e alguns eram meus vizinhos, porém, tiveram de colocar as suas casas à venda porque não existe emprego nem em Viana nem mesmo em Évora, viram-se obrigados a migrar para outras regiões em busca de trabalho, alguns para o Al(l)garve, daí a centralidade do trabalho presentemente e a importância de haver estratégias municipais para o desenvolver o tecido económico.
 
O que se tem feito para atracção de investimento externo? Quais os benefícios fiscais para as empresas que se fixem no concelho? Qual a estratégia seguida nos investimentos públicos para promover a empregabilidade local? Qual(is) o(s) cluster(s) a investir? Estratégia de produção/comercialização de produção em fileira? 
 
É verdade, concordo, o Governo devia apoiar mais o interior na criação de postos de trabalho, mas deve ficar claro que quem cria emprego é o sector privado, ao sector Estado cabe sobretudo atribuir benefícios fiscais às empresas e famílias; apoios de capital para o arranque de pequenos negócios e de estímulo ao empreendedorismo, por exemplo F.A.M.E. (Finicia); quais os resultados obtidos pelo Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento Económico em Viana do Alentejo?; dar apoios às P.M.E.'s em termos de inovação, marketing e internacionalização; melhorar as acessibilidades e rede de transportes; melhorar as redes de tecnologia, informação e comunicação; estratégicamente apoiar alguns clusters de mercado e prestar serviços públicos ao cidadão.
 
Educação
Quando possível manter escolas pré-escolares e do 1.º ciclo do ensino básico em funcionamento. Abrir mais vagas e várias opções lectivas para os alunos no ensino secundário.   
 
Durante as pausas lectivos como é que a Câmara Municipal de Viana vai assegurar a Ocupação de Tempos Livres das crianças e jovens do concelho?
É essencial criar respostas e equipamentos Sociais não só no apoio à infância através de Creches e Infantários, mas também no apoio aos Idosos através de Centros de Convívio, Centros de Dia e Lares.
 
Saúde e Actividades de Lazer, Cultura e Desporto
Para as pessoas terem maior esperança de vida, viver até mais tarde e com alguma qualidade de vida, é importante haver actividades físicas para os idosos, por exemplo, ginástica, hidroginástica, caminhadas, passeios pedestres, etc. Nesse sentido, o Parque Municipal "Dona Joana" é realmente importante, como é o Jardim Público de Aguiar (aqui falta mais iluminação) entre outros espaços concelhios, mas na minha opinião não resolve todos os problemas de fundo. Acho que seria também muito bom promover uma dinâmica associativa entre os seniores e estes organizarem-se para desenvolver actividades, por exemplo uma Universidade Sénior com múltiplas actividades estimulantes e com benefícios para o corpo e para a mente, a Câmara podia ser a entidade promotora.  
 
Incentivos à Natalidade
Câmara podia ter uma política de natalidade e atribuir apoio económico para os jovens casais com filhos, como alguns municípios do Alentejo fazem à algum tempo, por exemplo em Mora. Sempre ajuda qualquer coisa e faz alguma diferença para as famílias, nem que seja um subsídio para as fraldas, mas fazer qualquer coisa para ajudar as famílias mais desfavorecidas. 
 
Resumindo, como vemos, ainda muito há a fazer, importa ver as opções políticas dos partidos e movimentos de cidadãos, mas com a certeza de duas coisas: primeiro, o populismo não beneficia o progresso e segundo, este combate pelo desenvolvimento não se faz individualmente.
 
Retirado do Blog http://polvorosa.blogs.sapo.pt/
 
Editado por António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 00:40
| comentar

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

_

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Arquivos

Fevereiro 2019

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Pesquisar neste blog