Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009

A tartaruga em cima do poste

"Cartoon de Henrique Monteiro"

 

Enquanto suturava um ferimento na mão de um velho (cortada por um caco de vidro indevidamente jogado no lixo), o médico e o paciente começaram a conversar sobre o País, o governo e, fatalmente, sobre Sócrates...


O velhinho disse:

 - Bom, o senhor sabe, o Sócrates é como uma tartaruga em cima do poste...


Sem saber o que o velho quis dizer, o médico perguntou o que significava uma tartaruga em cima do poste.


Ao que o velho respondeu:


- É, quando o senhor vai  por uma estradinha, vê um poste. Lá em cima está uma tartaruga a tentar equilibrar-se. Isso é uma tartaruga em cima do poste.


Perante a cara de espanto do médico, o velho acrescentou:


- Você não entende como ela chegou lá; não acredita que ela esteja lá; sabe que ela não subiu para lá sozinha; que ela não deveria nem poderia estar lá; que não vai fazer absolutamente nada enquanto estiver lá e não entende bem porque a colocaram lá.


Então, tudo o que temos a fazer é ajudá-la a descer de lá e providenciar para que nunca mais suba, pois lá em cima definitivamente não é o seu lugar!

 

 

Recebida no meu mail

 

 

Editada por António Costa da Silva

 

 

publicado por alcacovas às 11:31
| comentar | ver comentários (2)

Juntos Conseguiram (II)

Visto na Net

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 11:27
| comentar

Juntos Conseguiram

 

Visto na Net

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 11:26
| comentar

Na Ante-Câmara, novo blog na blogosfera concelhia

 

na ante-câmara

 

Surge um novo blog, o "Na Ante-Câmara" - http://naante-camara.blogspot.com/ , na blogosfera do concelho de Viana do Alentejo.

 

Transcrevo o início da apresentação do Na Ante-Câmara em forma de saudação do Alcáçovas:

 

Seja bem vindo quem vier por bem!

 

B. Borges 

publicado por alcacovas às 00:22
| comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 25 de Agosto de 2009

Manuela Ferreira Leite "roçou o patético", disse Mário Soares

    

 

   Mário Soares: Manuela Ferreira Leite "roçou o patético"

 

Num artigo escrito no DN de hoje, Mário Soares diz que a entrevista da líder do PSD à RTP1 na semana passada foi “de uma banalidade que, algumas vezes, roçou o patético” e constitui “uma profunda decepção”.

 

Indo ao encontro das críticas do secretário-geral do PS, José Sócrates, para quem o PSD ainda não apresentou um programa político credível, Mário Soares escreve que o programa eleitoral do PSD  é “um deserto de ideias”, sem “qualquer elemento novo” que permita aos eleitores escolher um governo nas próximas eleições legislativas.

O antigo Presidente da República critica a atitude de Manuela Ferreira Leite na entrevista que deu à RTP1 na semana passada, em que chamou mentiroso a José Sócrates, “um termo pouco próprio num debate democrático entre adversários políticos” e, acrescenta, “com um olhar de mazinha ao canto do olho que me surpreendeu...”.

Mário Soares continua as críticas à líder do PSD, dizendo que Ferreira Leite “não disse nada de jeito” sobre “cultura, educação, ciência, ambiente, Europa, justiça, administração, Segurança Social, luta contra a criminalidade, defesa, luta contra o terrorismo, imigração, política no sentido mais estrito, relações partidárias, reforço da democracia”.

Soares questiona ainda se a líder do PSD terá concedido a entrevista à RTP1 “apenas para se mostrar no seu encantador new look” e ironiza: “Nesse aspecto, aceito que, dentro do possível, não tenha estado mal.”

Para Mário Soares, a entrevista "foi uma verdadeira ocasião perdida”.

 

Artigo retirado do DN Online

 

Não pude, naturalmente, deixar de concordar.

  

Publicado por B. Borges

publicado por alcacovas às 20:28
| comentar | ver comentários (1)

CDU - Tribuna Pública sobre a Água (Hoje)

 

Reproduzido para Publicação

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 15:49
| comentar | ver comentários (2)
Segunda-feira, 24 de Agosto de 2009

A luta política que precede actos eleitorais

Estamos a assistir a uma luta política “desesperada”, estão em causa muitos interesses, pessoais e partidários e, reconheço (ou desejaria), também alguns interesses puros pelo serviço público.

Acredito que (ainda) temos políticos honestos, devotados e incorruptos. Acredito que ainda há homens e mulheres capazes de servirem a causa pública sem cedências de ordem partidária, corporativa ou pessoal.

Mas, voltando à norma (triste norma), o que mais se vai vendo é uma luta para ganhar custe o que custar, onde os argumentos factuais se apagam sob a avalanche de um discurso de “marketing” político tipo terceiro - mundista.

Este processo que vem caracterizando a política a nível nacional está a ter, cada vez mais, fiéis e entusiasmados seguidores na política local.

E aqui este tipo de luta pode (e vai) gerando outro tipo de problemas de ordem social, familiar.

Num concelho ou numa freguesia (excepto ou em menor grau nas autarquias com muitos milhares de eleitores) as pessoas conhecem-se, são amigos (ou inimigos), são parentes, são colegas, convivem.

Mas quando há que ir a votos tudo ganha contornos “anómalos”. As pessoas passam a ser socialistas ou sociais democratas, comunistas ou bloquistas, etc.
As pessoas pertencem ou são cativadas por um partido e, a partir desse momento, têm que conciliar os interesses das suas autarquias, com os dos seus partidos e (algumas vezes) com os seus interesses pessoais.

As pessoas conhecem-se, sabem (razoavelmente) quais são as capacidades de cada um, os seus podres e virtudes.

Mas a divisão provocada pela partidarização das eleições autárquicas altera e vicia as apreciações e, em última análise, enfraquece o grupo dos cidadãos vencedores.

As pessoas conhecem-se, mas não podem escolher os “melhores”. Escolhem o partido ou quanto muito o partido que julgam ter o melhor elenco.
Pode dizer-se que, salvo escassas excepções, a autarquia e os seus habitantes ficam sempre a perder (excepto para aqueles que recebam ou esperem receber qualquer benesse dos seus eleitos).

E estas lutas, mais ou menos virulentas, acabam muitas vezes por agravar ou criar animosidades pessoais.

As eleições locais não podem ter o mesmo figurino das nacionais.
Se queremos mais democracia, mais participação, mais envolvimento das pessoas da nossa terra temos que escolher os nossos candidatos e não “ceder” esse direito aos nossos partidos.

Agora que se recomeça a discussão sobre a regionalização, com mais ou menos autonomia, com mais ou menos envolvimento dos residentes locais a questão da forma das eleições autárquicas tem uma importância decisiva.
Acredito que as eleições autárquicas não devem ser partidárias. Devem ser os residentes locais a escolher os seus elencos, com as pessoas que entendam mais válidas e capacitadas independentemente dos partidos a que (eventualmente) pertençam ou apoiem a nível nacional.

E, se esta for a solução escolhida, há que discutir cuidadosamente as regras por que se regerá o novo sistema.
 
Mas discutir localmente e não apenas nos gabinetes governamentais e partidários sediados em Lisboa.

Julgo que este sistema poderá ser decisivo para dar uma nova vida aos nossos concelhos e freguesias, sobretudo nas zonas mais desfavorecidas.

 AC

 

 Este post é cópia dum artigo publicado no DN on line.

publicado por alcacovas às 12:41
| comentar | ver comentários (2)

Um horizonte tão longínquo para uma visão tão curta

Foto retirada do site da CMVA

 

 

Neste fim-de-semana tive a visita de um grande amigo meu. Em tom de conversa, (naquelas intermináveis) falámos de muita coisa, e um dos temas que naturalmente veio à baila, foi precisamente a crise que o País está sofrendo.

 

Nestes prós e contras de lamentos, de falta de respostas e até potenciais soluções, o tema veio de encontro às grandes dificuldades alentejanas (e do interior) e inevitavelmente para a discussão dos problemas concelhios.

 

Em determinada altura informei-o que apesar desta terrível conjuntura económica, ainda persistem iniciativas bastante interessantes neste concelho, que é pena não serem devidamente apoiadas. A grande maioria delas são viáveis e criam postos de trabalho, remando dessa forma contra a maré. Obviamente são uma “pequena gota de água no bico do passarinho para apagar o imenso incêndio que assola floresta”, mas ainda assim a fazer a sua parte.

 

É claro que falámos dos atrasos dos fundos comunitários, nomeadamente do PRODER (principal instrumento para apoiar as micro e pequenas empresas em meio rural). Falámos das incompetências do Estado na aplicação de tal instrumento. Falámos neste tipo de falta de resposta, para assim se evitar a derrocada destes frágeis tecidos empresariais.

 

Como curiosidade e como forma de demonstrar que ainda vão surgindo iniciativas por estas bandas, contei-lhe que ainda há bem pouco tempo houve um concurso de venda 2 lotes de terreno para a Zona Industrial das Alcáçovas, e que compareceram mais propostas do que o número de lotes que foram anunciados. Infelizmente, essas iniciativas, que não ganharam o concurso, não puderam beneficiar de um espaço para então criarem as suas unidades de produção nesta vila.

 

Ele então perguntou-me (tendo em conta toda esta conjuntura) se nos “podíamos dar ao luxo” de não aceitar esses projectos empresariais. Perguntou-me como é possível haver tanto espaço (de grande planície) e não haver lugar para novas unidades de produção.

 

É claro respondi-lhe com a velha resposta: O PDM foi mal feito, está cheio de limitações. A Câmara Municipal de Viana do Alentejo tem um terreno adquirido em zona contígua à Zona Industrial das Alcáçovas, mas que está em Reserva Ecológica Nacional e por isso mesmo não pode lá construir nada, pelo menos até o PDM ser revisto. Blá, blá, blá, blá …

 

No fundo, “encolhi-me” na resposta para evitar que a imagem do concelho ficasse ainda pior na “fotografia” e que não ficassem evidenciados todos os aspectos relacionados com a falta de visão de futuro que há muito persiste no nosso executivo autárquico.

 

E esta, é só uma delas.

 

No fundo, um horizonte tão longínquo para uma visão tão curta.

 

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 11:32
| comentar

Candidatura PS, Viana do Alentejo. Noite de Movimento: primeiras fotos

  


  


Fotos gentilmente cedidas por Luís Pedro Morais

A candidatura Bengalinha, junto anexa as primeiras 2 fotos da “Noite de Movimento”, realizada ontem no bar esplanada das piscinas municipais de Viana do Alentejo.

É com grande satisfação que constatámos, mais uma vez, a grande adesão das pessoas nesta candidatura de mudança, onde estiveram presentes cerca de 400 apoiantes de todas as idades.

 

Gratos pela vossa atenção.

Pela candidatura,

 

José Luís Potes Pacheco

 

________________________________________________________________
Movimento "Unidos pelo Concelho de Viana do Alentejo: uma Nova Esperança"
________________________________________________________________
Visite os nossos sites:

http://sites.google.com/site/unidosporvianadoalentejo/

http://unidos-com-bengalinha.blogspot.com/

http://vianaalentejo.hi5.com

http://twitter.com/vianadoalentejo

 

 

Enviado para o e-mail do Alcáçovas (alcacovas_hoje@sapo.pt)

 

Publicado por B. Borges

publicado por alcacovas às 01:52
| comentar | ver comentários (3)

Alguém disse um dia: “O Poder tem Mel”. Eu prefiro a frase: “O Poder por vezes paga muito bem aos incompetentes”.

Como os valores apresentados em baixo é fácil entender porque é que criaturas que nunca mostram nenhumas competências profissionais no mercado de trabalho (pois até as suas licenciaturas foram frequentadas e concluídas durante o período dos seus mandatos) se agarram com tanta força ao lugar que têm na Câmara. Deixa-me triste que as criaturas que se encontram nesta situação (a carapuça só serve a quem a enfiar) não tenham vergonha e se esqueçam que quando foram eleitas foi para servir o povo, não para se servir do povo.

 
 
ELEITOS LOCAIS
- Presidente da Câmara - 40% do PR / € 3.053,00 + € 888,78  de despesas de representação (30% da remuneração base);
- Vereador a Tempo Inteiro - 80% do Presidente da Câmara / € 2.442,40 + € 444,39 (20% da remuneração base);

- Senha de Presença, por reunião, dos outros vereadores e membros da Assembleia Municipal - € 61,06 / 2% do Presidente da Câmara;
- Presidente da Assembleia Municipal - € 91,59 / 3% do Presidente da Câmara;
- Secretários da Assembleia Municipal - € 76,33 / 2,5% do Presidente da Câmara.

PESSOAL DO GANINETE DE APOIO:
- Chefe de Gabinete – 90% da remuneração base do Vereador a Tempo Inteiro - € 2.198,16
- Adjunto do Presidente da Câmara - 80% da remuneração base do Vereador a Tempo Inteiro - € 1.953,92;
- Secretários - 60% da remuneração base do Vereador a Tempo Inteiro – € 1.465,44.
 
Têm direito ainda a subsídio de refeição no valor de € 4,27/dia.
 
 Estas informações foram retiradas do blog Alvitrando.
 
Como sei que o que escrevi em cima não vai cair bem a algumas pessoas (pois o facto do nosso concelho ser pequeno faz com que as histórias, sobre ligações ao poder, licenciaturas, percursos profissionais e outros assuntos do género sejam do conhecimento de toda a gente) aviso desde já que estou de férias e só esporadicamente me ligo à internet, por isso se estão a pensar fazer comentários anónimos a ofenderem-me por dizer uma verdade inconveniente não os façam pois não sei daqui a quantos dias volto a aceder ao blog para os apagar!
 
Ricardo Miguel Vinagre
 
publicado por alcacovas às 00:26
| comentar | ver comentários (1)
Domingo, 23 de Agosto de 2009

Por Falar em Livros e Manhã de Domingo

Sugiro:

 

A Viagem do Elefante de José Saramago

 

 

Sinopse:

 

Em meados do século XVI o rei D. João III oferece a seu primo, o arquiduque Maximiliano da Áustria, genro do imperador Carlos V, um elefante indiano que há dois anos se encontra em Belém, vindo da Índia.

Do facto histórico que foi essa oferta não abundam os testemunhos. Mas há alguns. Com base nesses escassos elementos, e sobretudo com uma poderosa imaginação de ficcionista que já nos deu obras-primas como Memorial do Convento ou O Ano da Morte de Ricardo Reis, José Saramago coloca agora nas mãos dos leitores esta obra excepcional que é a Viagem do Elefante.

Neste livro, escrito em condições de saúde muito precárias não sabemos o que mais admirar - o estilo pessoal do autor exercido ao nível das suas melhores obras; uma combinação de personagens reais e inventadas que nos faz viver simultaneamente na realidade e na ficção; um olhar sobre a humanidade em que a ironia e o sarcasmo, marcas da lucidez implacável do autor, se combinam com a compaixão solidária com que o autor observa as fraquezas humanas.

Escrita dez anos após a atribuição do Prémio Nobel, A Viagem do Elefante mostra-nos um Saramago em todo o seu esplendor literário.

 

Da Editorial Caminho

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 13:16
| comentar

Manhã de Domingo

Se um dia me perguntarem o que é para mim uma manhã de Domingo perfeita eu responderei: No Alentejo, com vista para o infinito (a que muitos chamam planície), com um livro e ao som da guitarra de Carlos Paredes ou da música mágica de Tchaikovsky Os mais próximos chamam a este meu momento matinal de Domingo egoísmo eu chamo vício que só na solidão posso desfrutar.

 

Calmaria

 

Nada!

Hora e horas neste ponto morto

Onde caiu agora a minha vida…

Nem um desejo, ao menos!

Só instintos pequenos:

Apetite de cama e de comida!

 

Nem sequer ler um livro

Ou conversar comigo, discutir…

Nada!

Neutro, morno, a dormir

Com a carne acordada.

 

Miguel Torga

In Diário Vol, I e II

 

Ricardo Miguel Vinagre

publicado por alcacovas às 12:10
| comentar
Sábado, 22 de Agosto de 2009

Um estilo tipicamente português - o gosto pelas desgraças.

Foto de Albufeira

 

Quanto mais melhor. Ontem foi um desses dias, uma derrocada duma falésia, na praia Maria Luísa em Albufeira, provocou a morte de alguns infelizes veraneantes que por ali gozavam o seu período de descanso.

 

A comunicação social, como é óbvio, aproveitou para dar a devida cobertura e assim aumentar o alarde daquela triste situação. No fundo, “alimentar” as pessoas com a espectacularidade do desastre passou a ser esse o seu principal desígnio. Não interessa propriamente a notícia, mas sim a dimensão da desgraça.

 

Também alguns dos principais políticos portugueses não estiveram com meias medidas, foram àquele local “dar” o seu apoio e assim manifestarem toda a sua “preocupação” com as famílias e com a fortíssima fragilidade daquelas arribas algarvias.

 

Este lamentável acidente terá que ter obrigatoriamente consequências. O que ali aconteceu já há muito tempo se esperava. Aquela construção desenfreada, mesmo em cima das falésias, realizadas por alguns “pato bravos” da construção civil, com a aprovação e conivência de muitos autarcas, e ainda, com o “fechar de olhos” das entidades governamentais de fiscalização, só poderia dar maus resultados. Já há muito tempo que essa discussão existe, mas ninguém faz nada.

 

Não posso deixar de referir que se continua a aceitar a realização de mais disparates criminosos, como são exemplos alguns PIN´s. Com o propósito do “interesse nacional”, continua-se a permitir o desenvolvimento de projectos de grande construção e dimensão em zonas ecologicamente vulneráveis, como aquela em que ocorreu aquele acidente.

 

Essa sim, parece-me que deveria ser a principal reflexão e discussão a ter com esta matéria, para que o futuro possa ser mais sustentável para todos e com a vantagem de evitar desnecessárias vítimas.

 

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 13:34
| comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009

Água - Mais Notícias Explicativas

Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo

 

 

Os serviços de abastecimento de água para consumo público e de saneamento de águas residuais de 21 Municípios do Alentejo vão ser geridos de forma integrada, através de uma empresa conjunta. As bases da exploração e gestão do novo sistema de águas constam de um contrato de parceria pública celebrado entre as autarquias locais e o Estado, o segundo do género a ser formalizado em Portugal. Esta parceria visa garantir a qualidade, a continuidade e a eficiência dos serviços de águas em “alta” nesta região.

 

Concretizou-se na quinta-feira, dia 13 de Agosto, a segunda parceria pública para a gestão integrada dos serviços de abastecimento de água para consumo público e saneamento de águas residuais em Portugal, envolvendo o Estado e 21 Municípios do Alentejo. O Contrato de Parceria foi assinado entre o Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional e as Câmaras Municipais de Alcácer do Sal, Aljustrel, Almodôvar, Alvito, Arraiolos, Barrancos, Beja, Castro Verde, Cuba, Ferreira do Alentejo, Grândola, Mértola, Montemor-o-Novo, Moura, Odemira, Ourique, Santiago do Cacém, Serpa, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vidigueira, em cerimónia realizada na Casa do Alentejo.

 

A parceria vigora por um período de 50 anos e tem por objectivo melhorar substancialmente a qualidade, a continuidade e a eficiência dos serviços públicos de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais em “alta”. Neste contexto, é criado um sistema territorialmente integrado de águas, denominado Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo  - SPPIAA, que agrega os respectivos sistemas municipais de águas em “alta” e as infra-estruturas e equipamentos que vierem a ser construídos.

 

Os serviços em alta de águas relativos ao Sistema serão explorados e geridos em regime de parceria pública mediante a constituição conjunta de uma sociedade anónima a integrar no sector empresarial do Estado, enquanto Entidade Gestora da Parceria (EGP), na qual a AdP - Águas de Portugal, SGPS, S.A., em representação do Estado, irá deter 51% do capital social, tendo também como accionista uma associação de municípios de fins específicos em representação dos 21 municípios, que subscreverá o remanescente do capital social. A exploração e a gestão do SPPIAA, em regime de exclusivo territorial, compreendem a concepção, o projecto e a construção das infra-estruturas, instalações e equipamentos necessários à captação, ao tratamento e ao abastecimento de água para consumo público e à recolha, tratamento e rejeição de águas residuais urbanas, bem como a sua extensão, reparação, renovação, manutenção e aquisição, visando a prestação dos serviços de águas às autarquias, no sentido último da melhoria da qualidade do serviço e dos níveis de atendimento. Em declarações á Rádio Planicie, José Maria Pós de Mina, Presidente da autarquia de Moura, adiantou que esta parceria culmina num longo período de negociações onde esteve envolvido o Município de Moura, num passo importante e numa colaboração entre o Estado e os 21 Municípios do Alentejo. Este foi um modelo original cujo plano de investimento inicial ascende os 227 milhões de euros. O autarca adiantou ainda que segundo os estudos feitos no âmbito desse projecto as tarifas vão ser facturadas às Câmaras Municipais da região e ficarão abaixo dos sistemas multimunicipais existentes. As tarifas a praticar deverão permitir a recuperação dos custos devidos para suporte da exploração e gestão dos serviços de águas relativos ao Sistema, em condições de assegurar a qualidade dos serviços, durante e após o contrato de gestão, a sustentabilidade económico-financeira da sociedade e a acessibilidade aos serviços públicos por parte dos consumidores.

 

Retirado do site http://www.radioplanicie.com

 

Editado por António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 12:49
| comentar
Quarta-feira, 19 de Agosto de 2009

Também dirigido ao Alcáçovas...

Candidato CDU à Autarquia de Viana do Alentejo;
Candidato CDU à Assembleia Municipal;
Candidato PS à Autarquia de Viana do Alentejo;
Candidato PS à Assembleia Municipal;
Candidato PSD à Autarquia de Viana do Alentejo;
Candidato PSD à Assembleia Municipal;
Bloguers partidários e apartidários;
A tal Viana;
Alcáçovas;
Barbearia ideal;
Cidade agar;
Como as marés;
Conversas trocadas;
Frescos campos;
Parte no caixote;
Polvorosa;
Um dia perfeito para os peixes banana;
Unidos com Bengalinha;
Viana e tal;
Cibernautas;
Curiosos;
Bigodes;
e Sobrancelhas;

Pede-se desculpa pela invasão territorial, pelo incómodo e transtornos que se possa causar;

Mas vou ser candidato, como independente, à Autarquia de Viana do Alentejo e o camarada José Mateus irá ser cabeça de lista, como independente, à Assembleia Municipal pelo Bloco de Esquerda.

Como para vocês somos uns candidatos fraquinhos, certamente que não se irão preocupar com tudo aquilo que temos para dizer e fazer.


Abraços e Beijinhos a todos

visto em http://hernanigalvao.blogs.sapo.pt/

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 23:22
| comentar | ver comentários (1)

"Noite de Movimento"

 

 

PS - Movimento "Unidos pelo Concelho de Viana do Alentejo: uma Nova Esperança"
 
Visite os nossos sites:
 
http://sites.google.com/site/unidosporvianadoalentejo/ 

http://unidos-com-bengalinha.blogspot.com/
 
http://vianaalentejo.hi5.com

http://twitter.com/vianadoalentejo

 

Enviado para o Alcáçovas para divulgação.

 

Publicado por B. Borges

publicado por alcacovas às 11:07
| comentar
Terça-feira, 18 de Agosto de 2009

APRESENTAÇÃO DAS LISTAS AUTÁRQUICAS DO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO

psd

 

A secção concelhia do PPD/PSD – Partido Social Democrata de Viana do Alentejo apresentou no dia 17 de Agosto as suas listas a todos os órgãos autárquicos do concelho de Viana do Alentejo.

 

Os principais candidatos para os diferentes órgãos foram os seguintes:

 

Assembleia Municipal:

1)      Francisco Mestre

2)      João Farrica

3)      Célia Sabino

 

Câmara Municipal:

1)      Fernando de Brito e Silva

2)       Anunciação Baioneta

3)      Veríssimo Chora

 

Assembleia de Freguesia de Aguiar:

1)      João Fialho

2)      Orlando Pão Mole

3)      Caetano Silva

 

Assembleia de Freguesia de Alcáçovas:

1)      António Costa da Silva

2)      Margarida Bagão

3)      Anunciação Baioneta

 

Assembleia de Freguesia de Viana do Alentejo

1)      Ricardo Soldado

2)       Carlos Banha

3)       Inês Baião

António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 10:13
| comentar | ver comentários (2)

Entrega do processo de Candidatura do PS a todos os órgãos autárquicos do concelho de Viana do Alentejo

 

Na passada Sexta-feira, pelas 14.00 horas foi entregue no tribunal de Évora, o processo de Candidatura do Partido Socialista a todos os órgãos autárquicos do concelho de Viana do Alentejo.

Das listas entregues fazem parte homens e mulheres, na sua grande maioria sem filiação partidária, com provas dadas no movimento associativo e na sua vida profissional.

Os elementos que integram a candidatura estão convictos e determinados que, articulados com a população, através do Movimento “Unidos pelo Concelho de Viana do Alentejo: uma Nova Esperança”, irão em conjunto defender de forma integrada e progressiva os interesses do nosso Concelho.

É Tempo de Grande Movimento!

Pela candidatura

José Luís Potes Pacheco
 
 
Enviado para divulgação
 
Ricardo Miguel Vinagre
publicado por alcacovas às 00:43
| comentar
Segunda-feira, 17 de Agosto de 2009

Contos do Nascer da Terra - Mia Couto

Contos do Nascer da Terra

 

Sinopse:

 

Era uma vez uma menina que pediu ao pai que fosse apanhar a lua para ela. O pai meteu-se num barco e remou para longe. Quando chegou à dobra do horizonte pôs-se em bicos de sonhos para alcançar as alturas. Segurou o astro com as duas mãos, com mil cuidados. O planeta era leve como uma baloa.


Quando ele puxou para arrancar aquele fruto do céu se escutou um rebentamundo. A lua se cintilhaçou em mil estrelinhações. O mar se encrispou, o barco se afundou, engolido num abismo. A praia se cobriu de prata, flocos de luar cobriram o areal. A menina se pôs a andar ao contrário em todas as direcções, para lá e para além, recolhendo os pedaços lunares. Olhou o horizonte e chamou:
Pai!
Então, se abriu uma fenda funda, a ferida de nascença da própria terra. Dos lábios dessa cicatriz se derramava sangue. A água sangrava? O sangue se aguava? E foi assim. Essa foi uma vez.
 

 

Editado por António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 10:26
| comentar

A Varanda do Frangipani - Mia Couto

 

A Varanda do Frangipani

 

 

Sinopse:

 

A narrativa de A Varanda do Frangipani decorre na Fortaleza de S. Nicolau, algures em Moçambique. A fortaleza há muito que deixou de ser reduto de defesa e ocupação estrangeira para se transformar num asilo de velhos. A trama policial, as reflexões sobre a guerra e sobre a paz, o Universo mágico, a riqueza de personagens, aliados a uma narrativa pujante e amadurecida, fazem deste livro uma das mais belas obras de Mia Couto.

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 10:13
| comentar

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

_

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Arquivos

Fevereiro 2019

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Visitas a partir de 5/3/2006

Pesquisar neste blog