Segunda-feira, 10 de Março de 2008

FIM-DE-SEMANA DO SCA

 

Tenis de Mesa:

 

 

6ª Feira dia 7

 

Tyco 2 - SCA 4

 

Uma vitória justíssima do SCA que só peca por pouco.

 

2ª Feira dia 3

 

Montemor  4 - SCA 3

 

Com alguma infelicidade o SCA deixou dar a volta ao jogo quando ganhava por 2 a 3.

 

 

Seniores:

 

SCA 0 - Morense 0

 

Um jogo extremamente equilibrado, apesar da nossa equipa jogar com 10 unidades praticamente o jogo todo.

 

Empatámos em Mora, agora com eles em nossa casa. Uma coisa é certa, daqui a quinze dias alguém vai ter que ganhar na meia-final da Taça do Distrito de Évora.

 

Espero que o SCA tenha a sorte do seu lado nesse dia, porque no que respeitas às capacidades dos jogadores e equipa técnica não tenho quaisquer dúvidas.

 

Resultados:


Arraiolos 2-1 Canaviais
Brotense 6-0 Aguiar
Cabrela 1-1 Giesteira
Alcaçovense 0
-0 Morense
Valenças 2-0 Santana

Classificação:

 

1º Arraiolos 37

2º Morense 37
3º Valenças 35
4º Cabrela 33
5º Giesteira 26
Alcaçovense 21
7º Cortiço 19
8º Canaviais 16
9º Brotense 13
10º Santana 11
11º Aguiar 1


Próxima Jornada, 19ª, 16/03/2008 pelas 15 horas:


Santana - Arraiolos
Giesteira -
Alcaçovense
Morense - Valenças
Canaviais - Brotense

Aguiar - Cortiço

 

Escolas:

 

SCA 7 - Estremoz 0

 

Mais uma brilhante vitória das nossas Escolas. Já levam três vitórias nesta fase.

 

Infantis:

 

SCA 0 - Lusitano10

 

Uma fase final duríssima para a nossa equipa. Arranca mal.

 

Por não ter acompanhado as equipas neste fim-de-semana só agora deixo os resultados, embora sem as habituais fotografias e relatos.

 

 

Pela Direcção do SCA

 

António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 19:08
| comentar
Domingo, 9 de Março de 2008

As eleições em Espanha e a inveja em relação a Portugal

Não espanhol algum que eu tenha contactado hoje que não esteja espantado, e algo invejoso, com o poderio económico que Portugal tem alcançado nos últimos anos.


- Quem nos dera ter dinheiro para comprar combustível para os nossos carros a mais de um Euro por litro. Por esse preço, deve ser muito bom! Confidenciava o empregado de mesa que ontem ao jantar nos serviu uma paella de marisco e uma sangria.

Mas o que mais espanta os espanhóis é a grande capacidade dos portugueses cativarem capitais espanhóis: os “El Corte Inglês”, as “Zaras” e outras grandes cadeias económicas estão a deixar de investir e criar postos de trabalho em Espanha para se estabelecerem em Mirandela, Gaia, Tábua, Coimbra e outras grandes metrópoles lusitanas. De lés a lés, Portugal consegue roubar investimentos a Espanha, tornando-se, portanto, a nova terra de oportunidades na Península Ibérica. E os espanhóis estão muito apreensivos com esses factos.

Também sentem inveja por adquirirmos os mesmos produtos a preços muito mais caros, e aspiram a que rapidamente as taxas de IVA de 21% sejam ampliadas a toda Península Ibérica. É que ao comprar todos os produtos a preços inferiores, os espanhóis acabam por não dar o devido valor às coisas.

“E haverá coisa mais linda que um país perder pouco a pouco a sua indústria? Torna a Nação muito mais ecológica e facilmente se alcançarão as metas estabelecidas em Quioto, e por este andar, Portugal estará no pelotão da frente no que se refere à diminuição da produção de CO2.
Pois é meus amigos, os “nuestros hermanos” invejam a nossa economia.

 

Retirado do http://opiolhodasolum.blogspot.com/

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 22:18
| comentar
Sexta-feira, 7 de Março de 2008

Amores improváveis...

Editado por António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 19:55
| comentar
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Correcções ortográficas ao Site da Câmara Municipal de Viana do Alentejo.

Deixo algumas correcções ortográficas ao Site da Câmara Municipal de Viana do Alentejo.

António Costa da Silva

 


Bem-vindo a Viana do Alentejo,


o concelho de todo o sol do Alentejo.

Qualquer uma das nossas povoações – Aguiar, Alcáçovas ou Viana do Alentejo – recebê-lo-à (recebê-lo-á) da melhor forma para que possa apreciar o que de melhor temos, do património histórico à gastronomia, da paisagem às nossas gentes e tradições.


§                               Posto de Turismo

Horário de Inverno (Outubro a Abril)

Deescanso (Descanso) semanal:

Domingo

09:00-12:30 / 14:00-17:30

 


Armas da Freguesia de Alcáçovas

Selo

Circular, com as peças do brasão, tudo envolvido por dois
circulos (círculos)concêntricos entre os quais corre a legenda "JUNTA DE FREGUESIA DAS ALCÁÇOVAS".


O GADE funciona desde Julho de 1999 e é coordenado por um técnico.

Os chocalhos eram muito usados para pendurar ao pescoço de alguns animais (os guias), à volta dos quais se juntavam os outros enquanto pastavam. Também serviam para indicar o paradeiro das reses mais gulosas quando estas se afastavam da manada para os campos semeados. Actualmente, o sistema de limitar as zonas destinadas à paastagem (pastagem) com cercas aramadas está a fazer cair em desuso a utilização dos chocalhos

Os chocalhos tornam nomes diversos conforme os tamanhos, que podem ir desde os 2 aos 50 cm de altura. Os de formato grande destinam-se ao gado vacum e cavalar e a alguns bodes guias. Os médios aplicam-se no gado lanigero (lanígero) e os pequenos em animais domésticos. Hoje são vendidos principalmente para fins decorativos e os compradores e coleccionadores, sobretudo estrangeiros, preferem adquirir os chocalhos já usados. Adaptado de Mário do Rosário - A vila de Alcáçovas - 1924.


Arte e Técnica do fabrico do Chocalho

O chocalho começa por ser talhado em folha de ferro, conforme o tamanho que se deseja. A grande tesoura está fixada verticalmente de um lado do banco de trabalho. Do outro lado encontra-se a bigorna, onde seguidamente se procede ao enrolamento da folha até ficar com a forma de chocalho. Depois fura-se a folha e coloca-se o céu (onde se pebdura (pendura) o badalo), faz-se a asa e põe-se no lugar. Ainda não tem toque algum. Para se obter este, não basta soldar os lados da folha. Os bordos têm de ficar realmente unidos, e isso exige operações complicadas.


Restaurantes de Aguiar

§                               Café - Restaurante "A Romeirinha"

Rua 10 de Outubro, Lote 6
7090 - 405 Aguiar
Telef: 266 791 347

Especialidades: Carne de Porco à Alentejana,
Borrrego (Borrego) Assado no Forno, Omolete de espargos, Feijoada, Ensopado de Lebre 
Doces regionais: Morgado, Mel e Noz, Encharcada... 

 


Restaurantes de Viana do Alentejo

§                               Restaurante - Pizzaria "Girassol"

Av. S. Gregóriol (Gregório), 9

§                               Restaurante «São Luís (Luís)»

Rua António Isidoro de Sousa, 36


Associações - ALCÁÇOVAS

ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS

AJAL – Associação de Jovens de Alcaçovas

Rua do Relógio, 28

7090 Alcáçovas

Telem.: 966 502 708 (Sr. Hernani (Hernâni) Galvão)


Associações - VIANA DO ALENTEJO

ASSOCIAÇÕES DESPORTIVAS

Clube Amadores de Pesca de Viana do Alentejo

Rua Médico Sousa, 12

7090 Viana do Alentejo

Tel.: 266 953 409 (Sr. Luis (Luís) Fernandes)

Viananima

OUTRAS

Associação Humanitária B. V. Viana do Alentejo

Estrada Nacinal (Nacional) 257

7090 Viana do Alentejo


O <<Museu do Chocalho>>

Nesse «Museu do Chocalho» estão incluídos um chocalho suiço (suíço) e outro alemão feitos à máquina, alguns instrumentos de trabalho, uma descrição completa do processo de manufactura e exemplares de todas as fases do fabrico dos chocalhos.

Na oficina-museu estão representados em prateleiras exemplares de chocalhos de todos os tipos, modelos e tamanhos. Constituiam (Constituíam) motivo de orgulho para os ganadeiros os chocalhos ornados com as iniciais da sua casa. Adaptado de Mário do Rosário - A vila de Alcáçovas - 1924


Poetas Populares de Aguiar

§                               António Bento Calhau (o Perna de Pau)

Reformado - Autor e Dizedor
Nasceu a 24 de Novembro de 1917, é natural de São Marcos da Abóboda, mas residente em Aguiar. Não sabe ler nem escrever. Trabalhador rural, foi a sua profissão até aos 17 anos, altura em que perdeu uma perna devido a um acidente de trabalho.
Começou a fazer versos muito novo; a esse
respeiro diz: «comecei a fazer versos quase logo que a minha mãe me teve, porque aquilo que o berço dá só a tumba é que o tira».


Poetas Populares de Alcáçovas

§                               António Banha (Pouca-Sorte)

Trabalhador Rural - Autor e Dizedor
Nasceu a 27-9-1916 em Alcáçovas, onde frequentou a escola até à 3ª classe. Começou a trabalhar, como hortelão, aos 11 anos. Aos 16 anos já fazia versos, pois gostava de «ouvir os poetas mais velhos». Escreve algumas das quadras que vai fazendo «para algum dia os filhos se lembrarem». Não gosta de despiques «para não criar
inemizades (inimizades)».


 Viana do Alentejo

§                               Romaria a Cavalo


Até 2006 a iniciativa foi da responssabilidade (responsabilidade) da Associação Equestre Moitense e contou com o apoio das Câmaras da Moita e de Viana do Alentejo. Em 2007 a Romaria é organizada em conjunto pelas Câmaras da Moita e de Viana do Alentejo e pela Associação Equestre de Viana do Alentejo e Associação dos Romeiros da Tradição Moitense. A Romaria a Cavalo coincide com a tradicional peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora D’Aires que atrai, anualmente, centenas de pessoas ao Concelho.

 


 

 

Retirado do Site da Câmara Municipal de Viana do Alentejo

 

Editado por António Costa da Silva

 

§  

publicado por alcacovas às 20:50
| comentar

SIMULACRO DE INCÊNDIO

Realizou-se em Aguiar um simulacro de incêndio nas instalações do Lar (COMPANHIA DOS AVÓS).

 

 

 

Fotos de José Luis Rocha

 

Retirado do http://cidadeagar.blogs.sapo.pt/

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 19:46
| comentar

Quartel dos bombeiros de Viana passam a receber material eléctrico e electrónico usado

Os resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos (REE) fora de uso vão passar a poder ser entregues em quartéis de bombeiros, começando pelos do distrito de Évora ainda este mês, revelou a entidade gestora deste resíduo, a Amb3E. O protocolo de cooperação com a Liga dos Bombeiros Portugueses foi celebrado ontem em Évora.(...)

 

(...) A parceria envolve as 14 associações humanitárias dos bombeiros do distrito de Évora - municípios Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Mora, Montemor o Novo, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, Viana do Alentejo, Vila Viçosa -, o Governo Civil de Évora, as entidades da Administração Local e delegações regionais e distritais da Administração Central.

Retirado do Logo

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 19:10
| comentar

Breves Memórias da Villa de Alcaçovas, continuando

Mais um trecho desta vez dedicado a um poeta popular conhecido por Bacalhau.

"Existe na Villa de Alcaçovas um individuo por nome - Arcenio Maria, vulgo Bacalhau - que possue o dom natural da poesia, e apesar da falta de conhecimentos e mal lêr, tem pensamento esplendido.

A memória  é robusta e prodigiosa, pois tendo mais de oitenta annos de edade, conserva grande copia de poesias que, desde a mocidade, ha composto.....

O poeta Bacalhau possuia um jumento, que. sendo atacado de grave enfermidade, lançou ao almargem.

O animal apezar do lastimoso estado em que se encontrava, procurou, por trez vezes, a casa do dono, que compadecido do seu companheiro, carinhosamnete o tratou e conseguiu melhoral-o, e pela satisfação do restabelecimento de um e gozo do outro, lhe dedicou as decimas seguintes:

Eu tenho um irracional,

Que lhe chamamos um burrinho

E por bem poucoxinho

Me não morre com grande mal;

Elle já estava mortal, Já não se podia erguer,

Elle não queria comer,

Estava de orelha derrubada,

D´ali senão esperava nada

Estava em ponto de morrer.

Eu desprezava o meu burrinho,

E a elle não lhe pareceu mal,

E fez da casa um hospital,

E agora está melhorzinho

Mas achei-lhe graça coitadinho,

Agora livre de mangação,

Vêr aquella discrição,

De sempre á porta vir parar,

O tio Roque foi o alveitar,

Já tenho o burro são.

Deus quis fazer-me ver,

Que o não devia despresar,

Que devia delle tractar,

Em minha casa até morrer,

Porque este era o meu dever,

Ter dó d´elle coitadinho,

Até se achar melhorzinho,

Para eu andar a cavallo,

Pois era meu regalo,

Ter vivo o meu burrinho."

AC

publicado por alcacovas às 14:19
| comentar
Quarta-feira, 5 de Março de 2008

182.225 Visitas em Dois Anos

NADA MAU.

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 12:43
| comentar | ver comentários (1)

Humor

Um dia, Deus, muito insatisfeito com a humanidade e os seus pecados, decidiu pôr fim em tudo.

 

Deus reuniu então todos os líderes mundiais para comunicar-lhes pessoalmente a sua decisão de acabar com a humanidade em 24 horas.

 

Deus disse: " Reuni-vos aqui para comunicar que extinguirei a humanidade em 24 horas".

 

E o povo dizia: "Mas, Senhor..."


Nada de MAS..., este é o limite, a humanidade vai abandonar a Terra para todo o sempre!

 

Portanto, voltem aos respectivos Países e digam ao Povo que estejam preparados.


Têm 24 horas!


O primeiro a reunir o povo foi Bush.


Em Washington DC, através de uma mensagem à nação, Bush disse:

"Americanos, eu tenho uma boa notícia e uma má notícia para dar.

"A boa notícia é que Deus existe e que ele falou comigo. Mas, claro, já sabemos disso. A má notícia é que esta grande Nação, o nosso grande Sonho, só tem 24 horas de existência. Este é o desejo de Deus".


Fidel  Castro reuniu todos os cubanos, antes de passar o poder ao seu irmão Raul de castro e disse:


"Camaradas, povo Cubano, tenho duas más notícias. A primeira é que Deus existe... sim, eu vi-o, estava mesmo à minha frente!!! Estive enganado este tempo todo...

 

A segunda má notícia é que em 24 horas esta magnífica Revolução pela qual tanto temos lutado, vai deixar de existir."



Finalmente, em Portugal, José Sócrates dá uma conferência de imprensa:

"Portugueses, hoje é um dia muito especial para todos nós. Tenho duas boas notícias.



A primeira boa notícia é que eu sou um enviado de Deus, um mensageiro, porque conversei com ele pessoalmente.


A segunda boa notícia é que, conforme constava do Programa doGoverno e apenas em 24 horas, serão Erradicados para sempre o desemprego, o analfabetismo, o tráfico de drogas, a corrupção, a pedofilia, os problemas de transporte, água e luz, habitação, nada de burocracia, e o mais espectacular de tudo: O IVA vai acabar assim como a miséria e a pobreza neste País!! O Governo cumpriu tudo o que prometeu!!!"

 

Enviada para o meu mail

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 12:35
| comentar

PURAMENTE KAFKIANO

 

Organigrama da Avaliação de Professores de acordo com a Decreto Regulamentar nº 2/2008

 

Este organigrama como alguém dizia mais parece a Linha do Metropolitano de Lisboa. É mesmo de loucos!

 

A democracia faz-se simplificando não complicando.

 

Uma coisa eu já percebi, os professores não têm quaisquer problemas em ser avaliados, só não querem ser através deste modelo onde nem sequer foram ouvidos. Curiosamente, quem vai ter um papel preponderante nesta questão vão ser os "professores titulares" que não têm qualquer legitimidade nem conhecimentos para avaliar os seus colegas.

 

Um exemplo concreto: pode ser “professor titular”, logo avaliador, um professor que tenha bastantes anos na administração pública ou então tenha exercido cargos directivos. Isto quer dizer que, apesar de não ter quaisquer funções de chefia ou de eleição por parte dos seus colegas, este professor tem o poder de avaliar os seus pares. Esta é a principal razão do descontentamento dos professores. Se repararmos bem, estão todos descontentes, independentemente da força política a que pertencem.

 

 

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 10:56
| comentar
Terça-feira, 4 de Março de 2008

Breves Memórias da Villa das Alcáçovas

 

Livro “Breves Memórias da Villa das Alcáçovas”

Reimpressão conforme no original publicado em 1890 pelo revdº Padre Reitor Joaquim Pedro de Alcântara.

Edição em 1989

 

 

Este é o livro várias vezes citado pelo André Correia e Frederico Carvalho. O mesmo pode ser adquirido na Associação Terra Mãe.

Editado por António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 15:49
| comentar

PATRIMÓNIO DEGRADADO - ANTIGA SEDE DO PCP EM ALCÁÇOVAS

 

Estas instalações faziam parte da sede do PCP em Alcáçovas. As mesmas foram abandonadas há alguns anos atrás e agora encontram-se em péssimas condições, conforme se pode ver na foto.

 

Actualmente pertencem à Câmara Municipal de Viana do Alentejo (após a aquisição deste espaço e outros à antiga cooperativa de Alcáçovas). Este espaço poderia ser vendido em hasta pública e então poder ser devidamente remodelado. Encontra-se na Rua do Relógio, junto á Papelaria Salsinha, zona bastante interessante para comércio ou serviços.

 

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 15:15
| comentar | ver comentários (5)

SPORT CLUB ALCAÇOVENSE – EQUIPA DE 1937

 

Seria bastante interessante descobrir os nomes dos jogadores. Não existem informações claras no SCA para se saber quem são as pessoas que se encontram na foto.

 

A vossa ajuda pode ser muito importante para refazer a história do SCA.

 

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 15:14
| comentar

ILUSÕES

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagens retiradas ao http://bocadeincendio.blogspot.com/

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 11:54
| comentar
Segunda-feira, 3 de Março de 2008

Famílias Alcaçovenses - 4º quartel do séc. XIX

Eis algumas famílias que habitavam a freguesia das Alcáçovas no último quartel do século XIX(1875-1900):

 

 

ARCADINHO

BANHA

BEIJA

BENTO

BURACO

CABECINHA

CAMARRO

CAMELO

CAMPOS

CANANÃO

CANECA

CARVALHO

CHIBELES

CHINITA

CHORA

FRAGOSO

GALROTE

GALVÃO

GRAVE

GROSSO

ILHÉU

LAVANDEIRA

LOUPA

MAIA

MARQUES

MERCA

MESTRE

MONTEIRO

MORITA

MURCHO

PAIVA

PANÓIAS

PAQUETE

PASSÃO

PASSINHA

PENETRA

PISCO

PORFÍRIO

SALSINHA

SANTOS

SARDÉ

SIMSIM

SILVA

TARDÃO

VELHO

VIDAZINHA

 

Um abraço a todos,

 

Frederico Nunes de Carvalho

publicado por alcacovas às 18:03
| comentar | ver comentários (7)

Breves Memórias da Villa de Alcáçovas-Cont.

Mais um pequeno trecho do livro do Padre J. P. Alcântara.

 

" Aquelle afortunado rei (D. Diniz) dispensava grande estima à villa das Alcáçovas, e muitas vezes dizia - que n´esta povoação tnha juntas, em um só logar, a sua Cintra e Almeirm, por que sendo Cintra deliciosa no Verão e insoffrível de inverno, e Almeirim amena no inverno e insupportavel no verão, a villa das Alcaçovas era agradavel em ambas as estações.

Este sabio rei passou muitas vezes, na villa das Alcaçovas, grande parte do anno, e ia, para gozar a fresca viração, passear até ao Valle de Tanques, que fica alem do sitio denominado Casas Novas, junto á estrada, que conduz a Alcacer do Sal, e assim chamado porque n´aquelle sitio ha uns tanques, onde os caminhantes costumam dar agua aos seus animais, e tomar algum descanço, sendo aquelle pedaço de terreno logradouro publico.

Aquelle monaca, acompanhado das pessoas nobres da villa, costumava tambem ir, por entre pomares, cear junto da fonte, chamada do Concelho, nome que ainda hoje conserva."

AC

publicado por alcacovas às 12:37
| comentar

EDUCAÇÃO, MANIPULAÇÃO E CIDADANIA

Cavaco Silva quando instado pelos jornalistas, neste fim-de-semana, a pronunciar-se sobre a “crise na educação” reagiu com sagacidade. Apelou ao diálogo, parte formal, mas vincou dois traços que, na algazarra, parecem estar a passar ao lado do confronto: a profunda promiscuidade partidária do género “quem interfere mais?” com que as oposições acirram a crispação entre professores e governo; a responsabilidade dos pais em intervirem na problemática do ensino, tornando-se parte das soluções e do rumo das mudanças.

 

Quanto à partidarização da luta dos professores, num arco vermelho-azul-laranja, ela é tão evidente que não vale a pena acrescentar o quer que seja. Já o relativo vazio de se ouvir as vozes dos pais, o assunto será menos perceptível.

 

Todo o problema actual na educação, havendo efectivamente um problema e não pequeno, é passado para a opinião pública como uma ofensiva agressiva contra os professores, assistindo-se agora à reacção das vítimas. Como se a escola se reduzisse ao binómio ministérios-professores, desaguando num problema laboral entre as partes. Esta concentração de protagonismos, gerada pela arrogância ministerial e pelo enorme poder corporativo acumulado pelo sindicalismo do ensino, indica que as escolas existem para o ministério ditar sentenças e os professores reagirem, como se a escola fosse um mero local de trabalho cuja finalidade é dar emprego aos professores. Neste afunilamento, o ensino afasta-se do conceito de serviço público, perdendo-se a perspectiva que a escola serve os alunos, os “clientes finais”, ensinando-os, com a obrigação de os ensinar bem, cada vez melhor.

 

Se os sindicatos se mexem com o maior frenesim, estando no seu papel, se os partidos da oposição se imiscuem e inventam todas as boleias possíveis e imaginárias para o avolumar das crises, não recuando perante as mais espantosas alianças, se os fiéis do partido no poder assistem passivos e coniventes na esperança que a ministra se desenrasque e a borrasca passe, o que fazem os representantes da parte mais interessada com o estado do ensino (os pais dos alunos)? Numa cultura em que a proximidade, sobretudo a proximidade familiar, é quase tudo e, em questões críticas, mesmo tudo, só pode haver o que há: um enorme défice de responsabilização (além do problema concreto do rebento de casa) e perspectivação colectiva sobre os caminhos do ensino. E é por isso que no cortejo de protestos, manifestações, gritos e arraiais, temos engalfinhados ministra, professores, sindicatos e partidos, mas não temos os pais, ou suficientes vozes dos pais, afastando-se assim os alunos, aqueles que, no concreto, são a razão para haver escolas, professores, ministério, sindicatos, partidos. E é nesse deserto da atomização alimentada pela cultura do exclusivismo familiar, a família como redoma acima e fora da sociedade, que beduínos e tuaregues fazem a festa e o arraial como se o problema, as soluções para os problemas, fosse uma coutada de partes crispadas e especializadas em artes guerreiras, com o objecto das escola, os alunos, a ver as bandas passarem e os exércitos marcharem. Mas são os pais que, ao ponto a que se chegou, podem (e devem) meter ordem na confusão, lembrando quem é servido e quem serve quem. Quererão tanto se incomodarem?  


Publicado por João Tunes no http://agualisa6.blogs.sapo.pt/
Um excelente texto que aborda a questão central do ensino em Portugal. Esta importante reflexão deveria ser o cerne da discussão.
Pena é, em Portugal, as coisas serem demasiado simplistas, normalmente especuladas por uma feroz comunicação social e que normalmente dão em nada. É triste.
Editado por António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 12:04
| comentar
Domingo, 2 de Março de 2008

CLÁSSICO - Há Mais de 100 Anos

Vi isto no http://tomarpartido2.blogspot.com/

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 16:18
| comentar

OUTROS RESULTADOS DO SCA

 

 

Tenis de Mesa:

 

SCA 4 - Vendinha 3

 

Escolas:

 

Bencatel 0 - SCA 8

 

Infantis:

 

União de Montemor 10 - SCA 3

 

 

Pela Direcção do SCA

 

António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 13:43
| comentar

Um Jogo Morno

 

SANTANA DO CAMPO - S. C. ALCAÇOVENSE

 

 

Iniciámos o jogo com a seguinte equipa: Guarda-Redes: Pernas; Defesas: Grazina, Nuno Maurício (Chinês), Zé Eduardo e (Canhão; Meio-Campo: Rui Querido, Manuel Jorge; Hugo Painho e Treinador-Jogador). Atacantes: Nuno Galvão, João Neves e Paulo.

O empate foi o resultado mais justo.

Aos 3 minutos a tivemos primeira grande oportunidade. Manuel Jorge Guerreiro remata forte de cabeça e leva a bola à barra da baliza do Santana.

 

Nesta fase do jogo podemos referir que o Santana foi a equipa mais forte em campo. O SCA era uma equipa muito apática e que dava demasiados espaços ao seu adversário.

 

Os nossos atletas jogavam muito afastados uns dos outros e o Santana soube aproveitar essa situação, marcando assim, o seu golo aos 27 minutos.

 

A segunda parte foi bastante diferente, a nossa equipa voltou a si e introduziu em campo um futebol de maior qualidade e superioridade sobre o nosso adversário.

 

Entretanto saiu o João Pedro e entrou o Zé Samora para o seu lugar. Este jogador ainda teve um bom remate à baliza do Santana, mas a bola saiu ao lado.

 

Numa bela recuperação no meio campo, Hugo Painho faz uma espectacular desmarcação ao Paulo Rodrigues que, de uma forma bastante calma, conseguiu marcar o golo do SCA.

 

Numa jogada de contra-ataque o Santana consegue uma boa desmarcação, em que um dos seus melhores atletas consegue isolar-se e frente à baliza de José Pernas faz um excelente remate. Aqui Pernas consegue mostrar um dos seus verdadeiros atributos. Faz uma defesa espectacular, só mesmo ao nível dos melhores.

 

Ainda entrou o Mochila para o lugar do Nuno Galvão. Este atleta ainda teve uma grande oportunidade mas o resultado permaneceu inalterado até ao fim.

 

Notas:

a)     Uma arbitragem positiva, apesar de pequenas falhas, sobretudo ao nível da marcação de livres, mas sem qualquer interferência no resultado da partida;

b)     Melhores Jogadores em Campo: Nuno Maurício (Chinês) e Paulo Rodrigues;

c)  Tivemos em campo um Manuel Jorge muito lutador (a dar tudo o que tem), apesar de estar naturalmente em baixo devido aos problemas do seu pai. Ao Guerreiro (pai), grande amigo do SCA, desejamos-lhe uma rápida recuperação e que esteja brevemente a apoiar a nossa equipa;

d) Parabéns ao Zé Eduardo que acabou de festejar o seu 40º aniversário no dia 29 de Fevereiro.

 

 

 

 

Resultados:


Aguiar 0-9 Arraiolos
Canaviais 0-1 Valenças
Morense 1-2 Cabrela
Cortiço 2-3 Brotense
Santana 1-1 Alcaçovense



Classificação:

 


1º Morense 36
2º Arraiolos 34
3º Cabrela 32
4º Valenças 32
5º Giesteira 25
Alcaçovense 20
7º Cortiço 19
8º Canaviais 16
9º Santana 11
10º Brotense 10
11º Aguiar 1



Próxima Jornada dia,18ª, 08/03/2008 pelas 15 horas:


Arraiolos – Canaviais
Cabrela – Giesteira
Alcaçovense – Morense
Valenças – Santana
Brotense - Aguiar

 

 

Pela Direcção do SCA

 

António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 13:31
| comentar

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

_

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Arquivos

Fevereiro 2019

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Visitas a partir de 5/3/2006

Pesquisar neste blog