Quinta-feira, 3 de Janeiro de 2008

Entrada de Alcáçovas

alcáçovas - outubro 2006.

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 21:29
| comentar

Chocalho, utilizado para tirar água do poço

 

Chocalhos
A tradição de um povo.

O Alentejo tem sido ao longo dos séculos uma das principais regiões de pastorícia do país. Associado a esta actividade surge o chocalho, que é descrito como um instrumento metálico que produz um som característico e que tem como principal finalidade, facilitar a localização do gado disperso pelas pastagens.

Pensa-se que a fabricação destes instrumentos, no Alentejo, data pelo menos da Idade Média, sendo então uma das muitas actividades desenvolvidas pelos judeus e árabes ferreiros. No entanto, apesar da existência dos chocalheiros se antiga na região, só no inicio do Séc. XIX esta profissão, tradicional nas Alcáçovas, foi oficialmente reconhecida.

Em 1913 existiam nas Alcáçovas treze famílias que se dedicavam à fabricação de Chocalhos. È a partir desta data que se conhecem as origens da actual oficina PARDALINHO. Nessa época, uma das famílias chocalheiras existente na terra era a de Luís Francisco Fernandes Pires. Foi este que ensinou a arte a Francisco Barroso, tio do actual proprietário, José Luís Reis Maia, e que lhe transmitiu os seus conhecimentos do ofício.

È de salientar igualmente que um outro chocalheiro, Gregório Rita, foi peça fundamental na transmissão de conhecimentos sobre a arte.

Presentemente, laboram na oficina da Quinta de Val de Freixo, em Alcáçovas, quatro mestres chocalheiros: José Luís Reis Maia com 50 anos de actividade na profissão, Guilherme Maia, Francisco Cardoso e Francisca Maia.

Existe uma grande diversidade de chocalhos, variando no modelo, no tamanho e na utilização a que se destinam. No entanto, os mais procurados, na região do Alentejo, são essencialmente de dois tipos, o “picadeiro” e o “reboleiro”.

Apesar da procura dos chocalhos depender essencialmente das necessidades dos criadores de ovinos, bovinos e equinos verifica-se que é cada vez maior a demanda destes produtos para fins decorativos.

 

Retirado do Logotipo do Flickr. Se clicar nele, você vai para o início

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 21:18
| comentar | ver comentários (2)

Gaffes dos Políticos

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 20:26
| comentar

UNIÃO EUROPEIA 10

10. Liberdade, segurança e justiça.

* A abertura das fronteiras internas entre Estados Membros da UE tem nítidas vantagens para o cidadão, permitindo-lhe viajar livremente sem ter de se sujeitar a controlos.

* No entanto, esse liberdade de circulação interna deve fazer-se acompanhar por um reforço dos controlos nas fronteiras externas da UE por forma a que se combata eficazmente o tráfico de seres humanos e drogas, a criminalidade organizada, a imigração clandestina e o terrorismo.

* Os Estados Membros cooperam entre si nos domínios policiais e judiciais para tornar a Europa mais segura.

O alargamento da UE vai, gradualmente, aumentando a área de circulação interna. Hoje podemos ir de Lisboa até à fronteira da Polónia com a Rússia sem parar em qualquer fronteira.

Na UE coexistem actualmente muitos sistemas judiciais, cada país com um sistema nacional.

Se a UE pretende que os seus cidadãos partilhem o mesmo conceito de justiça, deve dispor de sistemas judiciários que facilitem a vida das pessoas e não que a dificultem.

A cooperação entre as autoridades nacionais vai-se alargando, estimulando a cooperação e a investigação no caminho para um "espaço judiciário europeu".

AC

publicado por alcacovas às 16:26
| comentar

2008- O fumo do artifício...

 

Roubado aos Pitecos

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 01:17
| comentar

Teve mesmo AZAR.

O Homem da ASAE caçado a fumar num sítio onde não pode.

 

Teve mesmo AZAR.

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 01:13
| comentar

O incorrigível optimista

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 01:09
| comentar

Publicidade da Cerveja Skol- Brasil

 


 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 00:54
| comentar

WORLD NO TOBACCO DAY

 

Roubado ao http://jumento.blogspot.com/

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 00:36
| comentar
Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2008

UNIÃO EUROPEIA 9

Festas passadas volto à "Europa em 12 lições".

A Europa dos cidadãos

* Graças à UE os cidadãos dos Estados Membros podem circular, residir e trabalhar em qualquer ponto da Europa.

 

* No dia-a- dia a UE incentiva e financia programas que aproximam os cidadãos uns dos outros especialmente nas áreas da educação e da cultura.

 

* A consciência de pertencer à UE só gradualmente se desenvolverá, através das suas realizações concretas e dos seus triunfos.

 

* Já há alguns símbolos que representam a partilha de uma identidade europeia, o mais evidente dos quais é a moeda única.

 

- Circular, residir ...

O reconhecimento mútuo dos diplomas do ensino superior foi um dos passos importantes nesta área.

Qualquer pessoa dos Estados Membros pode trabalhar em qualquer parte da UE à excepção dos serviços que implicam o exercício de prerrogativas de autoridade pública (polícia, forças armadas, negócios estrangeiros, etc ).

Desde 2004 os cidadãos europeus que se desloquem na UE podem obter um cartão europeu de seguro de doença, que lhes facilita a cobertura das despesas médicas se adoecerem noutro país.

 

- Exercer os seus direitos de cidadão.

O europeu não é apenas um consumidor ou mero actor da vida económica e social. É também um cidadão da UE e, nessa qualidade, tem direitos específicos, como o de eleger e ser eleito nas eleições autárquicas e nas eleições para o Parlamento Europeu no Estado Membro em que resida .

- Direitos fundamentais.

OTratado de Amesterdão, em 1999, introduziu um procedimento que permite mover uma acção contra um Estado Membro que viole esses direitos e alargar o âmbito de aplicação do princípio da não descriminação, de modo a abranger não apenas a nacionalidade, mas também o sexo, a raça, a religião, a idade e a orientação sexual.

 

Outros exemplos:

Direito à greve.

Direito à informação e à consulta dos trabalhadores na empresa.

Direito a conciliar a vida familiar e a vida profissional.

Direito de acesso às prestações de segurança social, aos serviços sociais e à protecção da saúde em toda a UE.

O provedor de Justiça e o direito de petição.

O provedor de Justiça da UE é nomeado pelo Parlamento Europeu pelo período e uma legislatura. A função do provedor é examinar queixas contra as instituições e órgãos comunitários.

As queixas podem ser apresentadas por qualquer cidadão da UE ou qualquer pessoa ou organização residente ou sedeada num Estado Membro.

 

Programas relativos à aprendizagem para o período de 2007/1013.

Ensino básico e secundário: COMENIUS , participação dos estudantes da UE em actividades escolares comuns.

Ensino superior: ERASMUS , permite frequentar universidades no estrangeiro.

Formação profissional: LEONARDO da VINCI , proporciona estágios em empresas e centros de formação noutros países europeus.

Educação de adultos: GRUNDTVIG . Oferece a possibilidade de actividades de formação no estrangeiro.

Estudos sobre a integração europeia: JEAN MONNET , paoia a investigação e o ensino universitário no domínio da integração europeia.

 

Fazer participar os cidadãos.

A ideia de uma Europa dos cidadãos é muito recente. Já existem alguns símbolos representativos dessa unidade como o passaporte europeu, a carta de condução da UE , a divisa "Unida na diversidade", o dia da Europa (9 de Maio) e o euro (em muitos países, mas não em todos).

Já tivemos o hino e a bandeira, mas esses símbolos foram retirados no Tratado de Lisboa.  

E os controlos nas fronteiras da maior parte dos países da UE foram abolidos.

Vai-se criando gradualmente um sentido de pertença a um espaço unificado a Europa. Uma pertença partilhada, ser cidadão de um dos países da UE e ser cidadão europeu.

Jean Monnet  resumiu e clarificou, em 1952, esta partilha:

    

Não coligamos Estados, unimos pessoas.

AC

publicado por alcacovas às 12:20
| comentar

Menino Jesusssssss...

...queria tanto uma prendinha Tua para este 2008! Gostava muito, muito de ter uma estrada nova, ou pelo menos reparada. Diz quem sabe que esta liga a bela vila das Alcáçovas à imponente cidade de Alcácer do Sal. Pois é! Como a mesma é municipal, parece que a responsabilidade é das câmaras por onde esta passa[vulgo Alcácer do Sal e Viana do Alentejo]. E, a ver pela estrada junto aos limites de Alcácer, parece que pelo menos Tu, por intermédio dos senhores da dita câmara já começaste a fazer qualquer coisa, mas a parte de Viana do Alentejo, esta sim, começa agora a desleixar-se em relação à concorrência...

Já agora não podias dizer alguma coisa aos senhores da Câmara de Viana do Alentejo para fazerem um pouco melhor em relação a este assunto?

Bem sei que eles se dizem comunistas e, por esse facto, serão concerteza ateus ou agnósticos, não ligando muito ao que Tu dizes, nem tampouco a prendas no sapatinho, no entanto, como se intitulam de muito amigos dos amigos, não podias relembrar-lhes esses epítetos?

 

Muito obrigado,

Frederico Carvalho

publicado por alcacovas às 00:27
| comentar
Terça-feira, 1 de Janeiro de 2008

Igreja Matriz do Salvador - IPPAR

Alcaçovas 

Foto de Karyatis

 

A primitiva igreja matriz de Alcáçovas, dedicada a Santa Maria, foi fundada em 1308 pelo bispo de Évora D. Fernando II (ESPANCA, Túlio, 1975). O templo foi comenda da Ordem de Cristo, e posteriormente da Ordem de Avis, tendo como padroeiros os donatários da vila, os Henriques de Trastâmara.


Em meados do século XVI, a igreja foi reconstruída segundo um novo projecto, de gosto maneirista, sendo o risco da fachada muito semelhante à estrutura da igreja do Espírito Santo de Évora. Desconhece-se o autor da traça, sabendo-se porém que durante alguns anos a obra de edificação foi dirigida pelo mestre de pedraria Baltazar Fernandes (Idem, ibidem).


Nesta época, a matriz terá mudado de orago, tendo então como padroeiro São João Baptista, e no século XVIII passou a ser dedicada a Cristo Salvador, orago que se manteve até hoje.


De planta rectangular, desenvolvida longitudinalmente, o templo apresenta uma fachada que se divide em três registos e cinco panos. Estes são marcados pela disposição de pilares dóricos, que separam o corpo principal, os corpos laterais, correspondentes às naves colaterais, e os dois torreões.


Da edificação quinhentista são os portais, o principal de moldura rectangular encimada por frontão, de gosto classicista, e os laterais, de moldura rectangular simples, e os torreões coroados por sineiras e pináculos piramidais. O programa decorativo barroco, que englobou as molduras dos janelões do segundo registo, o remate do frontão do corpo central e os fogaréus, foi executado cerca de 1748 (Idem, ibidem).


O espaço interior divide-se em três naves de cinco tramos, antecedidas por coro-alto e cobertas por abóbada de nervura assentes sobre colunas dóricas. Da campanha quinhentista subsistem também o púlpito, de mármore, e as pias de água benta. Em cada nave colateral foram abertas quatro capelas. Do lado do Evangelho foram consagradas as capelas de Nossa Senhora do Rosário, decorada com pintura mural, Nossa Senhora dos Remédios, que alberga no retábulo uma tela maneirista com a representação da Santíssima Trindade , a capela do Senhor Jesus do Pereira, e a capela-panteão dos Henriques, ou do Senhor dos Passos, reaproveitada da estrutura original do templo, mas que sofreu algumas transformações no século XVII, que no entanto não alteraram o arco gótico da entrada e os túmulos dos instituidores. Posteriormente, este espaço foi decorado com pintura mural a seco, durante duas campanhas decorativas, uma realizada no século XVIII, que corresponde ao camarim da capela, outra do século XIX, na abóbada e alçados (SOUSA, Catarina, 2003, p. 125).


Do lado da Epístola situam-se as capelas de Santo António, decorada com painéis de azulejos seiscentistas, a de São João Evangelista, a de São Miguel, e a de São Francisco Xavier, onde foi inserido o túmulo de Pedro Fernandes Colaço da Fonseca, mordomo-mor do infante D. João, que havia sido enterrado na igreja primitiva.


A capela-mor, de planta quadrangular, é antecedida por arco triunfal pleno assente em pilastras dóricas. O espaço é coberto por abóbada de caixotões de pedra, que em época posterior à sua edificação foi estucada e policromada, e as paredes laterais são forradas com painéis de azulejo de tapete, policromos e com figuração naturalista, executados por uma oficina lisboeta cerca de 1696. O retábulo-mor, de talha maneirista dourada e policromada, foi executado pelo mestre eborense Sebastião Vaz em 1640, albergando no centro uma tábua pintada em 1712, representando Cristo Salvador (ESPANCA, Túlio, 1975).
C. O.

 

Tirado do site do IPPAR

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 18:37
| comentar | ver comentários (2)

Aterro Sanitário Intermunicipal do Distrito de Évora - Um Cheiro Nauseabundo

 
 

Uma das principais infra-estruturas do Sistema Intermunicipal de Resíduos Sólidos Urbanos do Distrito de Évora é o  Aterro Sanitário  localizado nas proximidades de Évora, E.N.380 que liga Évora-Alcáçovas, freguesia de N. S. de Tourega, concelho de Évora.

 

 

 

Retirado do site da  Gesamb e da

Evora_logo_amde

.

 

Tenho passado por lá estes dias e sente-se um cheiro nauseabundo.

 

Impressionante como uma infra-estrutura tão recente consegue funcionar tão mal.

 

Se no Inverno funciona assim, imagine-se no Verão!

 

E só se fala na ASAE!!

 

António Costa da Silva

 

 
publicado por alcacovas às 18:16
| comentar | ver comentários (2)

REFLEXÕES DO ZÉ...

 

Enviado para o meu mail

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 14:10
| comentar

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

_

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Arquivos

Fevereiro 2019

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Pesquisar neste blog