Domingo, 27 de Novembro de 2005

Distração ou Esquecimento!

Mesmo hoje sendo um verdadeiro dia de Inverno, chuvoso e frio não dispensei o meu passeio de Domingo por algumas ruas da nossa vila.
Hoje apeteceu-me ir à praça e perder-me nas ruas empedradas do centro da nossa terra, foi quando dei por mim a olhar o que já vi centenas de vezes a beleza da zona histórica da minha terra, andei calmamente pelas ruas de Évora e do Castelo saindo junto à igreja Matriz, voltei a praça e quando me preparava para regressar a casa uma ideia surgiu-me, a recuperação do nosso centro histórico, há muito que é objecto de promessas políticas e que até já deu origem a uma associação, nunca será feita se os “turistas” não visitarem a nossa terra. A historia da nossa vila tem que ser partilhada com muitos para que assim todos se possam aperceber o que verdadeiramente se esta a perder ao deixar ao abandono uma parte importante da historia do nosso país.
Com estas ideias ainda as voltas na cabeça voltei para casa a primeira coisa que me ocorreu foi fazer uma pesquisa na Internet sobre as Alcáçovas. E ai foi o meu maior choque pois verifiquei que pouca informação encontrava sobre Alcáçovas, aprofundei a minha pesquisa utilizando o motor de busca “google” na esperança que o que estava a utilizar fosse mau e por isso não encontrava muito sobre a minha terra. Mas estava completamente enganado o que de facto via era chocante a informação que existia era muita mas nada que tivesse a ver com a divulgação da história da nossa terra, o pouco que encontrei e que me deixou ainda mais triste foi algumas referências ao Tratado de Alcáçovas feitas por saites de todo o mundo e algumas fotografias do nosso Paço e da Capela das Conchinhas tiradas por alguém da Câmara Municipal de Paço de Arcos. Isto é ridículo e é uma situação que não se pode manter pois o único saite que faz referencia as jóias da nossa terra é o da Câmara Municipal de Paço de Arcos!!!!!!
Eu fiquei sem acreditar e voltei a pesquisar tentando consultar o saite da Câmara Municipal de Viana do Alentejo mas nada nem sequer estava disponível.
Fiquei totalmente desiludido e com um sentimento de tristeza pois aqueles que são os principais responsáveis pela divulgação da nossa terra não utilizam a Internet para publicitar a nossa historia, os nossos momentos e a nossa cultura.
Então compreendi porque é que a nossa terra é tão pouco visitada e logo a minha ideia inicial de que eram necessários muitos visitantes para que assim pudéssemos reclamar mais atenção para a degradação do nosso centro histórico foi por “água abaixo”.
Depois pôs-me na pele de um turista que estava interessado em visitar Alcáçovas, como é que obteria informações? Como é que sabia os principais pontos de interesse a visitar? O mais lógico é que acabava por desistir e procurar outro destino, ficando por conhecer uma vila cheia de historia, costumes e tradições!

rmgv
publicado por alcacovas às 23:05
| comentar
2 comentários:
De Anónimo a 11 de Dezembro de 2005 às 01:26
Antes de mais quero felicitar todos aqueles que, em conjunto, têm trabalhado para a manutenção deste espaço de divulgação de ideias, mas sobretudo de reflexão dessas mesmas ideias.
Quanto ao artigo:«Distração ou Esquecimento!», gostaria de reflectir também sobre algumas coisas que estão ligadas à História das Alcáçovas, logo à sua memória. Se na pele de Historiador eu já sinto uma enorme tristeza pela degradação, não so dos monumentos, mas sobretudo, da memória de um povo, maior é a tristeza na pele de habitante desta belissíma vila. Dizia um sábio grego o seguinte: «os homens morrem porque não são capazes de juntar o começo ao fim». Não procures informação na internet, porque ela não está lá, procura a informação na memória das pessoas, nos monumentos que ainda restam, nas ruas calcetadas...Seria muito bom, de facto, encontrarmos a informação na internet, mas eu prefiro ver a História da «minha» vila em livro, numa monografia, que ela tanto merece, em cd, debatida em colóquios, que até se poderiam realizar nos espaços históricos, mesmo que em ruínas. Eu tenho procurado nos arquivos informação sobre Alcáçovas, e já encontrei coisas muito interessantes, mas não basta encontrar, é preciso tratar essa informação e reuni-la num arquivo, porque nos arquivos é que se deve guardar o bem mais precioso de um povo- a sua Memória!
Depois já poderíamos organizar roteiros, propor projectos para renovação dos monumentos, divulgar a nossa História e trazer os turistas à nossa vila. Eu não concordo que as Alcáçovas tenha poucos visitantes, até acho que tem muitos e muito interessados, porque ouviram falar, embora uma coisa minima, de Alcáçovas, mas como bem disseste, eles acabam por se perder e nunca percebem a riqueza que ficou por conhecer!
Mas esse é o nosso papel, jovens desta vila, o de preservar a memória do nosso povo, que no fundo são os nossos antepassados, ou seja, parte de nós! se a memória de um povo morrer, esse povo morre com ela!
Roberto Vinagre
</a>
(mailto:roberto_vinagre@hotmail.com)
De Anónimo a 28 de Novembro de 2005 às 14:59
O artigo do RV é oportuno e obriga-nos a pensar, a pensar naquilo que vemos todos os dias quando passeamos pela noss Vila, pois de uma forma geral olhamos com "carinho", mas não vemos o que está mal, nem o que os nossos governantes, a nível central e a nível local, não fazem, ou esquecem ou julgam não poder fazer.
Cabe-nos a nós, cidadãos, levantar a mão e sacudir a imobilidade, limpar a poeira, gritar o nosso protesto.
Porque é que o site da nossa Câmara não aproveita melhor o património histórico de Alcáçovas, que não pode ser limitado aos edifícios ou outras construções? Há que explorar as memórias, os acontecimentos históricos, relevantes para o nosso País e até para o Mundo.
Vamos fazer qualquer coisa, discutir, estudar. Vamos a uma sessão da Câmara ou da Assembleia Municipal e apresentemos as nossas razões e as nossas queixas.
Mas primeiro estudemos melhor o assunto tão bem e oportunamente levantado pelo RV.
ACANDRÉ cORREIA
</a>
(mailto:raco93@yahoo.ie)

Comentar post

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Para onde vamos?

Arquivos

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Visitas a partir de 5/3/2006

De onde nos visitam?

outils webmaster
contador

Pesquisar neste blog