Sábado, 31 de Janeiro de 2009

***

"O mundo é uma realidade universal, desarticulada em biliões de realidades individuais"

 

Miguel Torga

In Diário

 

Ricardo Miguel Vinagre

publicado por alcacovas às 19:01
| comentar
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

Juntas de freguesia de Viana do Alentejo unidas em protesto

Os três Presidentes de Junta das Freguesias de Aguiar, Alcáçovas e Viana do Alentejo, eleitos na Assembleia Municipal de Viana do Alentejo, impedidos pela Lei nº 45/2008 de 27 de Agosto, de votar nos representantes deste Concelho para a Assembleia Intermunicipal do Alentejo Central, vêm lavrar o mais firme protesto e responsabilizar o Partido Socialista, por esta limitação à liberdade dos cidadãos que exercem o cargo de Presidente de Junta de Freguesia e que ao mesmo tempo impedem as populações das freguesias de estarem representadas nos órgãos das Comunidades Intermunicipais.

Os Presidentes das Juntas presentes, propõem-se enviar este protesto ao Sr. Primeiro-Ministro (enquanto Ministro responsável pelo Poder Local), Aos Grupos Parlamentares com assento na Assembleia da República, à Governadora Civil do Distrito de Évora e à Comunicação Social e fazer ainda a sua distribuição nas respectivas Freguesias.

Os Presidentes das três Juntas de Freguesia presentes nesta Assembleia Municipal do dia 23 de Janeiro como protesto por não poderem votar no 2º ponto da Ordem de Trabalhos, com o devido respeito pelo seu Presidente e restantes membros desta Assembleia, pedem a sua ausência enquanto durar a discussão e aprovação deste ponto.

Os Presidentes de Junta de Freguesia

Viana do Alentejo – António José Prates Valverde
Alcáçovas – José Jacinto Bento Grave
Aguiar – António Inácio Torrinha Lopes

 

Visto no http://www.jfreguesias.com

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 11:59
| comentar | ver comentários (1)

Economic Crises and provision for the end of the crisis

Ricardo Miguel Vinagre

publicado por alcacovas às 01:34
| comentar
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009

Pecados mortais (2 de 7)

 

Segundo erro capital. Apoio Social.

 

O programa eleitoral da CDU nas Autárquicas de 2005 até agora não foi cumprido no que diz respeito à Política Social e Solidariedade. Vamos por partes. 

 

1.ª parte: o programa eleitoral que não se cumpre

"Aprofundar a intervenção do município na área social, valorizando o existente e estudando novas formas de intervenção dentro das competências das autarquias".

Aqui não se interessou pelo arrendamento jovem, pela descentralização de competências na educação, pelo apoio à banda larga a famílias mais pobres, imagine-se, nem sequer tem um Plano de Desenvolvimento Social nem Plano de Acção no âmbito da Rede Social! 

 

"Continuar a reivindicar a construção da creche de Aguiar".

Alguém sabe dizer quando abre a creche de Aguiar? Entretanto o que é que as famílias fazem às crianças? Da Câmara Municipal nem uma palavra, estupendo!

 

"Candidatar o concelho a programas de apoio social financiados pelo poder central e que possam levar à diminuição das desigualdades e carências sociais".

Não conheço aqui em Viana nenhum "programa de apoio social para diminuir as desigualdades" promovido pela Câmara e financiado pelo poder central, quem me pode informar? 

 

"Denunciar e combater os problemas sociais (desemprego, exclusão social, falta de apoio à juventude, aos idosos e deficientes, etc.)".

A Câmara Municipal de Viana do Alentejo não tem um plano de acção concreto, como vimos por exemplo no caso do desemprego, muitas das questões onde devia ser parte da solução, prefere apontar o dedo e nada fazer para resolver problemas sociais profundos e onde se esperava que pudesse assumir responsabilidades e políticas eficazes, mas é sempre mais fácil culpar o governo não é? Pura demagogia. 

A política social de apoio aos idosos não é só oferecer alguns almoços, levar uns tantos a passear e dar uns trocos para as associações. Políticas sociais para este grupo passa por políticas sustentadas de saúde, habitação, educação e ocupação dos tempos livres.

A política de apoio à juventude da Câmara é o quê? Dar bolsas de estudo a estudantes independentemente da situação económica e social da sua família? Tratar de modo igual situações diferentes não é uma boa solução. Dar umas massas para as associações de jovens é bom? É porreiro, mas é insuficiente, política séria de juventude prende-se com criar oportunidades de emprego para jovens, baixar as taxas municipais, criar ofertas de formação profissional, de habitação a custos controlados, apoio às rendas, ocupação de tempos livres, baixar as tarifas, criar respostas sociais de apoio à família como creches e A.T.L.'s para os filhos.

 

2.ª parte: em situação de grave emergência social, o que fica por fazer

A Associação Nacional de Municípios Portugueses apoia uma série de presidentes de autarquias que estão a implementar medidas de respostas de emergência para combater a crise do desemprego, da pobreza e da exclusão social. Desde Viseu, Boticas, Óbidos, Ponta Delgada, Tomar, Ferreira do Alentejo, Estremoz, etc. tomaram medidas de apoio à economia com redução de impostos (IMI, IMT, Derrama); criaram bancos de medicamentos; bancos de roupa, dão refeições à população mais carenciada; reduzem até 50% as taxas municipais de habitação para os casais jovens; promovem campanhas de voluntariado; baixam o custo de licenças camarárias, diminui o preço da água, baixam as rendas da habitação social, etc. etc.

Em Viana do Alentejo quais são as respostas urgentes para apoiar os mais fracos e uma classe média em dificuldades socio-económicas? Desconheço.

 

3.ª parte: em síntese

Hoje, não existe uma cobertura adequada de serviços e equipamentos no concelho. Vemos como em Aguiar não há creche para crianças, os idosos de "centro de dia" têm de ser transportados diariamente para Viana com os incómodos que isso acarreta.

Os técnicos e agentes da área social não são valorizados nem alvo de acções de qualificação/formação adequadas.

A Câmara não assume qualquer responsabilidade em termos de descentralização de competências sociais.

Muitos são os problemas sociais no concelho identificados pela Segurança Social, a Câmara mostra-se incapaz de se candidatar a programas nacionais ou comunitários para recolher fundos de modo a combater a pobreza e lutar contra a exclusão social. Não há uma estratégia de investimentos públicos no 3.º sector de modo a criar postos de trabalho na comunidade, nos jovens licenciados com cursos de ciências sociais e em particular para mulheres desempregadas com baixas qualificações.

É visível uma incapacidade de articular intervenções e cooperar profundamente com as I.P.S.S. do concelho porque não há um rumo definido nem um projecto de futuro onde estas instituições se revêm. Claro que o suporte financeiro atribuído através dos subsídios a estas organizações é importante para evitar o seu estrangulamento financeiro, daí a anuência de alguns "yes man" apesar de todos saberem que nem com GPS se encontra um caminho para esta gestão prejudicial para o concelho.

O planeamento e avaliação de políticas sociais são meras palavras num campo lexical cada vez mais gasto por esta gestão da CDU que tarda em apresentar resultados prometidos na campanha eleitoral.

Roubado ao http://polvorosa.blogs.sapo.pt/

 

Editado por António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 20:55
| comentar

Eça de Queirós

 

 

"isto não é um país, é um sítio e ainda por cima mal frequentado!"

 

Eça de Queirós

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 12:30
| comentar
Terça-feira, 27 de Janeiro de 2009

Rota do Fresco com gestão privada

Rota do Fresco com gestão privada
 

 

A empresa privada Spira – Revitalização Patrimonial vai gerir a Rota do Fresco, depois de seis anos em que a gestão do projecto esteve a cargo da Associação de Municípios do Alentejo Central (Amcal).

Em comunicado, a directora da empresa, Catarina Vilaça de Sousa – que está ligada à criação da rota – revela que entre os objectivos a atingir pelo “renovado projecto Rota do Fresco” é ter uma gestão profissional como empresa de animação turística, possibilitando assim “a conquista do mercado dos turistas individuais e estrangeiros” ou a criação de rotas “em novos territórios do Alentejo” e “para pessoas com mobilidade reduzida”, além de um “inovador sistema de fidelização de clientes” e “um conjunto de experiências etnológicas e culturais marcadamente alentejanas”.

Criada em 1999, a Rota do Fresco abrange actualmente os concelhos de Alvito, Cuba, Portel, Viana do Alentejo e Vidigueira, tendo por objectivo promover o desenvolvimento sustentável do território abrangido e a preservação do seu legado cultural, nomeadamente as pinturas murais (os frescos) existentes em muitas capelas e igrejas.
 
Visto no
Início
 
Editado por António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 17:43
| comentar
Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009

Uma viagem nos anos 30

A VIDA NUM SOPRO . José Rodrigues dos Santos

" Portugal, anos 30.
Salazar acabou de ascender ao poder e, com mão de ferro, vai impondo a ordem no país. Portugal muda de vida. As contas públicas são equilibradas, Beatriz Costa anima o Parque Mayer, a PVDE cala a oposição.
Luís é um estudante idealista que se cruza no liceu de Bragança com os olhos cor de mel de Amélia. O amor entre os dois vai, porém, ser duramente posto à prova por três acontecimentos que os ultrapassam: a oposição da mãe da rapariga, um assassinato inesperado e a guerra civil de Espanha.
Através da história de uma paixão que desafia os valores tradicionais do Portugal conservador, este fascinante romance transporta-nos ao fogo dos anos em que se forjou o Estado Novo.
Com A Vida Num Sopro, José Rodrigues dos Santos confirma a sua mestria e o lugar que já ocupa nas letras portuguesas."
 
Editado por António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 12:27
| comentar

Advinha - O Meu Tio

Há um senhor que é meu tio.

Esse meu tio tem um irmão.

O meu tio é meu tio e o irmão do meu tio não.

Então, que me é a mim?

 

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 11:31
| comentar | ver comentários (4)

Salvador Dali - Mulher à Janela

 

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 11:25
| comentar | ver comentários (1)
Domingo, 25 de Janeiro de 2009

Parabéns ao Grupo Coral “Os Trabalhadores das Alcáçovas” e da Sociedade União Alcaçovense

 

Foram festejados nos últimos dois sábados os aniversários do Grupo Coral “Os Trabalhadores das Alcáçovas” e da Soiedade União Alcaçovense.

 

Parabéns a estas duas colectividades pelo brilhante trabalho realizado em prol da cultura desenvolvido ao longo de largos anos.

 

Sem dúvida alguma, são duas instituições que têm levado longe o bom nome das Alcáçovas.

 

Parabéns.

 

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 17:39
| comentar

Um Alcaçovense cada vez melhor.

S. C. Alcaçovense – Cabrela (2 - 0)

 

Equipa: Pernas, Gansinho, João, Nuno Maurício (Chinês), Nelson, Zé Eduardo (treinador), Nuno Esteves (45), David, Luís da Eira, Salsinha, Jorginho.

 

 

Jogaram Também: Aires (por Luís da Eira), Samuel (por David).

 

Sabíamos que este jogo não ia ser nada fácil. Já manda a tradição ternos grandes dificuldades com a equipa de Cabrela.

 

 

Encontrámos um Cabrela bastante renovado com novos atletas, alguns deles já os tínhamos confrontado há alguns anos atrás. Não se encontrava em campo, devido a castigo, o seu capitão/treinador, jogador de grande qualidade. Estou claramente convencido que esta equipa vai subir significativamente na tabela classificativa.

 

Da parte do SCA faltavam alguns atletas, devido a acumulação de amarelos, que têm sido extremamente importantes na melhoria desportiva da nossa equipa, nomeadamente o Batalha, Grazina e Pedro Santos (Gadunha). Quem esteve em campo soube compensar claramente a falta daqueles valiosos atletas.

 

Iniciámos a partida a comandar claramente as operações. A nossa equipa tentou marcar o mais rápido possível, tarefa bem difícil perante um adversário muito bem organizado.

 

Mal passava dos cinco minutos quando Jorginho perde a primeira grande oportunidade. Mais tarde, nessa vez de cabeça, Jorginho após uma excelente rotação falha a baliza de Cabrela por pouco.

 

Aos quinze minutos, um caso de Jogo: Jorginho consegue isolar-se da defesa do Cabrela, é rasteirado, o árbitro marca livre directo e apenas dá um cartão amarelo ao atleta visitante. Todos consideravam, incluindo alguns elementos de Cabrela (em conversa no final da partida) que aquele atleta deveria ter levado um cartão vermelho. Na minha modesta opinião, o árbitro esteve bem, porque parece-me que a defesa de Cabrela tinha francas hipóteses de alcançar o Jorginho, apesar deste ser um atleta muito rápido.

 

Decorria cerca de metade do tempo da primeira parte quando surge o nosso primeiro golo. Depois de um centro para a área, um atleta da equipa forasteira alivia mal a bola e Nuno Chinês não perdoa.

 

 

Ainda surgiram outras boas oportunidades, mas não conseguimos alargar a vantagem nesta fase da partida.

 

 

Depois do intervalo a equipa de Cabrela foi subindo significativamente, pressionando cada vez mais a nossa equipa. Procurámos alargar a nossa vantagem através do contra-ataque, mas não estava a ser fácil.

 

Num período em o Cabrela estava sempre perto da nossa área, conseguimos um golo providencial por Zé Eduardo.

 

Este golo é concretizado através dum livre marcado de uma forma exemplar por Zé Eduardo. Um potente remate levou a bola para o fundo das redes da equipa adversária.

 

 

O jogo ficou decidido. A partir deste momento a nossa equipa soltou-se e o Cabrela perdeu a motivação. Voltámos a ter novas oportunidades, Jorginho e Nuno 45 foram os principais protagonistas.

 

O resultado perece-me bastante justo.

 

Notas finais:

1)     Gansinho (José Manuel Ganso) foi sem dúvida alguma o melhor em campo. Encheu totalmente o corredor direito. Foi um Gansinho à moda dos velhos tempos. Está de parabéns;

2)     Um jogo bastante disciplinado. As duas equipas deram pouco trabalho à equipa de arbitragem;

3)     Um arbitragem positiva, praticamente sem comprometer;

4)     Um SCA muito forte e com um ambiente de balneário de meter inveja;

5)     A nossa recuperação está para continuar. 1 empate e 4 vitórias consecutivas.

 

 

 

Valenças - Cortiço (0-3)
Canaviais - Outeiro (2-2)
Alcáçovas
- Cabrela (2-0)
Giesteira  - Brotense (3-2)

Morense – Santo António (1-2)

 

1º Giesteira 32,
2º Valenças 25,
3º Morense 24,
4º S.António 24,
5º Canaviais 21,
6º Alcaçovense 18,

Santana 16,
8º Cortiço 13,
9º Cabrela 11,
10º Brotense 10,
11º Outeiro 2

 

Pela Direcção do SCA

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 17:33
| comentar | ver comentários (1)

Fim-de-Semana do SCA – Escalões Juvenis

 

 

Infantis Futebol 7

 

Gisteira – S. C. Alcaçovense (0-7)

 

Equipa: Nuno, Henrique Lopes, Carlos Palma (Carlitos), Albino Mbombè, Casimiro Mbombé, Pedro Ilhéu, José Eduardo, António Costa, Tiago Rocha.

 

Uma ida à Giesteira. Vitória por 7 a 0.

 

 

Escolas Futebol 7

 

S. C. Alcaçovense – Sporting Clube de Viana do Alentejo (7-0)

 

A nossa equipa maravilha volta a ganhar.

 

 

Equipa: Henrique Branco, Bruno Charrua, João Ilhéu, André Silva, Victor Hugo, Duarte Guerreiro e Mário Carvalho.

 

Jogaram Também: David, João Silva, Diogo Maurício, Marco Galvão e Miguel Santos.

 

Mais um jogo dominado de principio até ao fim pela nossa equipa.

 

 

Apesar do campo se encontrar demasiado pesado, foi com entusiasmo que as duas equipas iniciaram a partida.

 

O campo parecia inclinado, a bola só tinha a direcção da baliza do Viana. Foi com naturalidade que Mário inaugurou a partida.

 

 

A nossa equipa queria mais, no entanto encontrava uma grande barreira à sua frente. A equipa forasteira dava pouco espaço.

 

Com paciência lá fomos alargando o marcador.

 

Já no final da partida, com os mais novos todos em campo, tivemos uma excelente jogada protagonizada pelos mais pequeninos: Marco Galvão faz um passe a Miguel Santos e este concretiza esse belo golo. O público adorou.

 

Marcaram: Mário Carvalho (2), Victor Hugo (2), André Silva (1), Bruno Charrua (1) e Miguel Santos (1).

 

Infantis Futsal

 

Sporting Clube de Viana do Alentejo – S. C. Alcaçovense (7-0)

 

 

Fomos defrontar a equipa mais forte do grupo.

 

 

Composta por bons jogadores, não tivemos quaisquer hipóteses. A diferença de idades e de físico foi determinante nesta partida.

 

 

 

 

Equipa: Duarte Guerreiro, João Ilhéu, André Silva, Victor Hugo, e Mário Carvalho.

 

 

Jogaram Também: Henrique Lopes, Carlitos Palma e José Mbombé.

 

 Melhor Jogador em Campo: Duarte Guerreiro

 

Pela Direcção do SCA.

 

António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 17:26
| comentar

PONTOS DE VISTA (XXII)

Ponto dois) Informação sobre a actividade da Câmara – O senhor Presidente informou que no dia 5 de Janeiro teve lugar na EB2,3/S Dr. Isidoro de Sousa em Viana do Alentejo, uma reunião do Conselho Geral Transitório. Embora não tenha estado presente, a Câmara fez-se representar tendo sido aprovados documentos importantes. ------------------------------------------------------------- Quanto à obra do Parque de Mercados do Malfor, disse o senhor Presidente que após um período de chuvas em que não foi possível efectuar lá trabalhos, foram hoje retomadas as pavimentações Referiu-se também o senhor Presidente às comemorações do próximo dia 13 de Janeiro, Feriado Municipal. Enunciou as iniciativas agendadas para cada freguesia e sublinhou a sessão solene a realizar no Cine-Teatro e o espectáculo de encerramento com Jorge Palma. ---------------------------- O senhor Presidente informou ainda que nos últimos dias de Dezembro foram celebradas duas escrituras de compra e venda. Uma delas, relativa à compra, pelo Município, do lote n.º 12 e construção nele existente aos herdeiros de Tomás Baião. A outra, relativa à venda à Associação de Reformados de Viana, do lote de terreno contíguo ao da respectiva sede. ------------------------------

- O senhor Vereador Costa da Silva referiu-se ao mau estado das vias no interior das localidades, quer em Viana quer em Alcáçovas. Exemplificou com várias situações de grandes buracos e pedras soltas sublinhando as situações das transversais à Rua do Relógio em Alcáçovas. Chamou também a atenção para a recente situação no cruzamento da Rua Teófilo Braga com a Rua Padre

Luís António da Cruz, que devido à necessidade de reparação de uma conduta implicou o corte do trânsito no local que agora se encontra com o pavimento em péssimo estado. -------------------------

- Também o senhor Vereador Costa da Silva se referiu mais uma vez à necessidade de pintura de passadeiras em Alcáçovas bem como à necessidade de conclusão dos passeios da Rua de S. Pedro na mesma localidade. -------------------------------------------------------------------------------------------

- O senhor Vereador Costa da Silva perguntou qual o ponto da situação da empreitada das Piscinas de Alcáçovas pois teve conhecimento de que terá havido uma reclamação por parte de um concorrente. --------------------------------------------------------------------------------------------------

- O senhor Vereador Rui Gusmão, relativamente ao mau estado das ruas frisou que a questão é complicada pois com a sinalização existente e com a qual sempre discordou, quando acontece um problema numa rua, o distúrbio causado é enorme, com inconvenientes vários, prejudicando principalmente os veículos prioritários. Sublinhou de novo a sua discordância com a sinalização existente e referiu o facto de ser muito frequente o engano dos condutores quando não reparam num primeiro sentido proibido pois como esta sinalização não é consecutiva ao longo da via, quem não reparar no primeiro sinal continuará enganado até ao fim da rua. ----------------------------- O senhor Vereador Rui Gusmão congratulou-se por finalmente ficar concluído o Parque de Mercados e iniciar a sua utilização. ---------------------------------------------------------------------------- Também este Vereador alertou para o facto de estarem a ser vistas, à noite, algumas ratazanas junto à Escola de S. João nesta localidade. -------------------------------------------------------------------

- O senhor Presidente, relativamente à necessidade de reparação dos pavimentos disse que nesta época as situações tendem sempre a piorar e com o tempo chuvoso não há condições para aplicar massas. Há intenção de realizar uma intervenção mais profunda, com massas asfálticas quentes dado serem mais duradouras. As questões mais prementes, independentemente desta intervenção de fundo, terão que ser resolvidas assim que o tempo estabilizar. ----------------------------------------- Relativamente às passadeiras, disse o senhor Presidente que existe o levantamento exaustivo dos trabalhos a efectuar, cujo procedimento aguarda possibilidade de abertura no Sector de Compras. - Relativamente ao concurso para adjudicação da empreitada das Piscinas de Alcáçovas, disse o senhor Presidente que por ter havido um concorrente que questionou alguns aspectos do Relatório de análise que recebeu, o processo foi reanalisado e objecto de novo relatório estando neste momento a decorrer nova audiência prévia que terminará antes da próxima reunião de Câmara, sendo previsível a adjudicação nessa data. -------------------------------------------------------------------- Relativamente à questão da sinalização e dos sentidos únicos a que se referiu o senhor Vereador Gusmão, disse o senhor Presidente que não é possível a coexistência no centro da vila de possibilidade de estacionamento e de possibilidade de trânsito nos dois sentidos. Para que se possa permitir o estacionamento no centro histórico da vila têm as ruas que ter apenas um sentido. -------- Relativamente ao aparecimento de ratazanas, disse o senhor Presidente que será verificado o esquema periódico de desratização que habitualmente é de 3 em 3 meses. ---------------------------

 

 

Retirado da ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DE 01/01/2009 da CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO ALENTEJO __________

 

Editado por António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 14:43
| comentar

A Des(culpa) da Crise.

 
(Augusto Cid no Sol)

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 14:13
| comentar
Sábado, 24 de Janeiro de 2009

FreePort - Porto Livre

 

Neste caso Freeport, sinto que predomina um certo estilo, já aqui denominado, de bafiento corporativismo com inspiração salazarista. Dá-me a sensação que ninguém gosta do tema, nem nenhum político quer verdadeiramente falar dele.
 
Infelizmente, a triste realidade portuguesa está cheia destas coisas e não se pode aceitar que muitos dos espertalhões que por aí vão passando não sejam castigados por aquilo que fazem. Muitas vezes predomina a lógica de que os verdadeiros vigaristas são uns grandes espertalhões e que até parece que procederam bem. Origem “cultural” altamente condenável.
 
Factos Estranhos ou Coincidências neste assunto?
a)     O Freeport, construído numa Zona de Protecção Especial do Estuário do Tejo, foi viabilizado num dos últimos Conselhos de Ministros do Governo de António Guterres (3 dias antes do Governo terminar), no qual José Sócrates ocupava precisamente a pasta do Ambiente, durante o mês de Março de 2002.
b)     Nessa altura, de acordo com as autoridades inglesas, saíram da sede da empresa em Londres grandes quantias de dinheiro que foram transferidas para Portugal através de “offshores” na Suíça e Gibraltar, alegadamente para o pagamento de “luvas”.
c)      José Sócrates é o ministro do Governo de António Guterres referido no já célebre DVD que faz parte da investigação desencadeada em Inglaterra ao negócio Freeport. Trata-se da gravação de uma conversa em que um administrador da empresa inglesa pede explicações sobre avultadas saídas de dinheiro para Portugal;
d)     Júlio Monteiro, tio do primeiro-ministro José Sócrates, admite ter facilitado o encontro do sobrinho com o sócio da empresa contratada para conseguir o licenciamento do Freeport;
e)     O intermediário do negócio responde-lhe que o dinheiro se destinou a «pagamentos corruptos», que ficaram combinados numa reunião com o então ministro do Ambiente, hoje primeiro-ministro de Portugal;
f)        O primo de José Sócrates Nuno Carvalho Monteiro, confirmou ao Expresso a existência de um encontro entre um intermediário do negócio do Freeport de Alcochete e o então ministro do Ambiente;
g)     Ao Expresso, Nuno confirmou que na sequência da reunião entre o intermediário Charles Smith e José Sócrates, a empresa de publicidade detida pela família enviou um mail aos responsáveis do outlet a cobrar o favor. A intenção era, segundo contou ao Expresso, que a empresa britânica usasse a agência de publicidade para promover o empreendimento.
 
Muitas dúvidas se levantam. Já não bastavam as histórias à volta de uma licenciatura muito estranha, de projectos assinados para terceiros, etc, etc.
 
Provavelmente o homem sai muito desta situação, tal como é hábito. No entanto …..
 
Provavelmente é um fumo sem fogo.
 
António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 20:41
| comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

Autarquias que olham para o Património

 

Esta é uma excelente iniciativa de divulgação e valorização do património histórico-arquitectónico do concelho de Reguengos de Monsaraz.

Para os mais interessados, aqui deixo a ligação com dados pormenorizados.

 

Cumprimentos,

 

Frederico Nunes de Carvalho

publicado por alcacovas às 23:51
| comentar | ver comentários (1)

Fim de Semana do SCA

 

Alcaçovense - Cabrela, depois de na última jornada a formação das Alcáçovas ter vencido em Évora por 3 bolas a 0 e de a fase má já ter sido ultrapassada, espera-se que os homens de Zé Eduardo consigam mais uma vitória no campeonato. Em Cabrela mora uma equipa que ainda não venceu fora de portas e neste jogo irão concerteza ter muitas dificuldades em vencer mas, esta equipa deixa tudo em campo e isso pode trazer dissabores para as Alcáçovas. Na primeira volta o Cabrela venceu por 2-1. Arbitragem de Joaquim Rosado.
Retirado do http://gdcsa.blogspot.com/
Jogos do SCA:
Séniores:
Alcaçovense – Cabrela (Sábado às 15h)
Escolas F 7:
Alcaçovense – S C Viana do Alentejo (Sábado às 11h)
Infantis F 7:
Giesteira -  Alcaçovense (Sábado às 9:30h)
Infantis Futsal:
S C Viana do Alentejo - Alcaçovense (Domingo às 11h)
 
Editado por António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 14:37
| comentar

Dia Mundial da Liberdade – 23 de Janeiro

 

LIBERDADE
 
Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada.
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.
O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...
Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.
Quanto é melhor, quando há bruma,
Esperar por Dom Sebastião,
Quer venha ou não!
Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.
O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca....
Fernando Pessoa, Obra Poética
 
Editado por António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 14:18
| comentar

O Novo Velho Portas

 

Ao ouvir a Grande Entrevista de Judite de Sousa a Paulo Portas pude constatar o seguinte:
1)      O líder do CDS - PP esteve muito bem quanto ao tema da educação;
2)      Esteve muito bem em relação aos assuntos fiscais;
3)      Esteve muito bem sobre as matérias relacionadas com o investimento público.
Que não se consiga entender bem qual é a estratégia que pretende seguir, é uma verdade. Que o homem continua demasiado agarrado ao seu estilo populista, também é verdade. Que o PP (partido popular é PP (Paulo Portas) também é verdade. Que o PP já não é CDS também me parece.
 
Ainda assim, há que contar com ele. Um velho Portas totalmente recauchutado com outro discurso. Talvez resulte.
 
António Costa da Silva
publicado por alcacovas às 10:27
| comentar
Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009

Crises

Crises

 

É já frequente ouvirmos ou lermos que o nosso país está em crise, agora e desde há muitos anos.

Diria que já nem discutimos a veracidade, a evidência desta questão. O que discutimos é o “quando”. Há quanto tempo começou a crise. Há quem diga que começou aí pelos anos oitenta do século XVI.

Outros dirão: foi com o D. João VI, ou com a 1ª Republica, ou …?

O que me parece é que temos mais anos de crise, desde há séculos, entremeados com pequenos períodos de desenvolvimento, de maior auto confiança, de confiança em nós próprios.

No presente acredito que após um período mais positivo, após os tempos do PREC, até meados dos anos noventa, voltámos a cair na crise (genética?).

E hoje para agravar a nossa crise “tradicional” cai-nos em cima uma crise global.

E com a crise, a agravar-se dia após dia, os nossos dirigentes apontam (e praticam) caminhos já trilhados e que nunca levaram a bom porto.

Voltamos a ouvir, a clamar, por maiorias absolutas para se poderem fazer reformas estruturais, para tomar medidas menos populares, mas indispensáveis para salvar Portugal.

Voltamos a ver práticas de centralização dos centros decisórios, de concentração de poderes, sob falsas razões de reorganização, simplificação da administração pública.

Voltamos a ouvir a voz do poder, iluminado, infalível e certificado pela opinião pública (leia-se comunicação).

Porque será que sempre que há crise (declarada ou previsível) os nossos dirigentes pedem, exigem, imploram por uma maioria que lhes permita governar. Governar para resolver os grandes problemas do país ou governar para cimentar poderes e interesses partidários ou privados?

Já fui adepto (encantado ou enganado) das ditas maiorias governamentais. Hoje já não o sou.

Um Governo que tenha uma maioria parlamentar (absolutamente controlada pelo partido, qualquer que seja) de digamos 40% vai fazer o que “quiser”, mesmo que os outros 60% não concordem. E, por vezes, não concordam porque estão em minoria. Como não podem ajudar, colaborar com os que governam só lhes resta serem, sempre, do contra.

Será impossível governar com a crítica e a colaboração da oposição?

Será impossível governar, em minoria, com recurso a referendos sempre que a importância e a divergência de soluções (proposta pelo governo e pelos opositores) o recomende?

Será que admitimos (sem esperança) que o povo não sabe o que quer? Que as minorias só atrapalham, que em Portugal (e noutros países) não se pode dar força aos opositores e muito menos ao povo. Precisamos de governos fortes, de dirigentes autoritários, salvadores (permanentes) da Pátria.

Lembrando a Grécia antiga ou alguns países do nosso tempo encontramos e voltamos a encontrar esta famigerada solução: dar o poder a alguém para acabar com as crises.

Pelo caminho que levamos até a Venezuela do Hugo Chavez é um exemplo invejável (para alguns).

 

AC

 

publicado por alcacovas às 19:51
| comentar

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Para onde vamos?

Arquivos

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Visitas a partir de 5/3/2006

De onde nos visitam?

outils webmaster
contador

Pesquisar neste blog