Sábado, 30 de Setembro de 2006

Informação

A pedido da leitora (assídua!) Miquelina Santos, passo a informar toda a comunidade:

"No próximo dia 7 de Outubro (sábado), pelas 7 horas da manhã, ir-se-ão reunir, frente à Igreja Matriz, mais um grupo de paroquianos da nossa vila para peregrinar a pé até ao Santuário de Fátima, na Cova da Iria.

Não é a primeira vez que isto vai acontecer; vai ser a primeira vez no mês de Outubro, uma vez que em Maio já partimos da nossa terra à 5 anos.

As grandes peregrinações a pé a Fátima realizam-se em Maio (a primeira aparição de N.a Sr.a) e Outubro (última aparição de N.a Sr.a aos pastorinhos).

Este Outubro o grupo de mais ou menos 10 pessoas permite partirmos da nossa vila e encontrarmo-nos em Montemor-o-Novo com o grande grupo que parte de Évora.

Celebrar-se-á Eucaristia às 7.30 H na Igreja Matriz, seguida da partida para Montemor a pé.

Deixo aqui o meu apelo a toda a população que queira juntar-se a nós nesta Eucaristia e desejar-nos boa viagem até à Virgem Mãe.

Bem Hajam!"

Luís Mendes

publicado por alcacovas às 21:02
| comentar | ver comentários (1)

***

Mais uma óptima medida deste governo.

Porquê pagarmos todos para algo que só alguns usufruem?

rmgv

publicado por alcacovas às 00:17
| comentar | ver comentários (2)
Sexta-feira, 29 de Setembro de 2006

GOSTOS MUSICAIS

DAVID BOWIE

davide bowie cartoons, davide bowie cartoon, davide bowie picture, davide bowie pictures, davide bowie image, davide bowie images, davide bowie illustration, davide bowie illustrations scary.gif CRACK1974.gif 1971BUTTERFLY.gif jeremymag.gif    rock.gif

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 13:13
| comentar

BRUNO BARBEY

 Um livro espectacular sobre Fotografia, tiradas em Marrocos.

Curiosamente, um País tão próximo de nós e que tão mal conhecemos.

Um País totalmente diferente, bastante exótico.

 

Pode ver mais na MAGNUM PHOTOS

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 12:46
| comentar
Quarta-feira, 27 de Setembro de 2006

Porquê?

Tem-se falado muito, nos últimos dias, sobre a Função Pública e sobre os funcionários que lhe dão corpo.

Um estudo, encomendado pelo Governo, vem deitar mais lenha para a fogueira.

Os trabalhadores, funcionários públicos, não são os culpados da situação a que se chegou, mas os outros cidadão, que também são trabalhadores, muito menos o serão .

Só que uns beneficiam e outros pagam. E pior o País não "aguenta". Algo tem que ser feito e com grande urgência.

Alguns sacrifícios serão (já estão) pedidos, num processo muitíssimo complicado e moroso.

Os funcionários públicos não podem ser culpados pelo estado do funcionalismo, mas têm que compreender que é preciso mudar, profundamente, muita coisa. Reorganizar a FP , simplificar, modernizar, e por aí fora.

Sabemos que falando de funcionários públicos encontramos coisas espantosas. Ora vejam:

- De cada 10 £ de impostos pagos por nós , mais de 6 são para pagar ordenados.

- Na FP existem 772 carreiras diferentes. A evolução na carreira é automática e em função do número de anos. Assim, tomando como exemplo, os professores do ensino básico e secundário, com 10 níveis diferentes, verifica-se que mais de 50% estão nos escalões superiores.

Se isto se passasse numa empresa queria dizer que mais de metade dos empregados eram directores.

Todo este "edifício" foi construído sem  premiar a competência, a assiduidade, os resultados, etc. E com uma garantia especial, a de ter um emprego garantido para toda a vida. Todos sabemos que os sistemas permissivos não estimulam e, pelo contrário, criam vícios.

Porquê trabalhar duramente se o meu colega não faz nada e ganha o mesmo.

Numa empresa privada, com um chefe exigente, todos trabalham a sério. Na FP cada um faz o que quer (passe o exagero). Em Portugal, na FP , um incompetente e mandrião é aumentado todos os anos e chega à reforma no topo (ou perto) da carreira (mais algum exagero, mas dá para entender).

Se não se fizer uma profunda reorganização de toda a estrutura pública o futuro fica comprometido. Tudo está relacionado.

O desenvolvimento social e económico do País só atingirá os níveis médios europeus se tiver como base uma melhor, mais organizada, mais eficiente Função Pública.

publicado por alcacovas às 15:45
| comentar

BOLETIM MUNICIPAL

Recebi, como de costume, mais um Boletim da n/ Câmara.

E, como é usual, tem boa apresentação, boas fotos (tipo album de família) e alguma informação (pouca, sintética), mas julgo que não satisfaz muitos dos residentes do Concelho, que o lêm (não se limitando a ver se está alguém conhecido ou o próprio nas fotos).

Não será possível ir um pouco mais longe ou um pouco mais ao fundo das questões?

O que é que se passa no Concelho? Como está a economia local? Há empregos?

Porque não criar um espaço de diálogo (on line, email...) com os municipes?

Porque não informar/discutir no Boletim alguns dos problemas importantes para o Concelho? Como seja o tratamento dos efluentes urbanos (e agro-pecuários), o lixo nas estradas e caminhos, o alcoolismo, o declínio do comércio, etc. etc.

O Boletim tem as suas virtudes e a sua "clientela", mas pode e devia ir bem mais longe.

 

AC 

 

publicado por alcacovas às 15:23
| comentar

RESTAURANTE “O CHIO”

O ramo da Restauração é uma das áreas bastante competitivas em Alcáçovas. Não é por acaso que os restaurantes já aqui citados e os outros que ainda não foram focados, apesar da grave crise que atravessamos, mantêm bem vivas as suas actividades

 

Este ramo de negócio vai trazendo, cada vez mais, pessoas a visitar Alcáçovas. Encontramos muitos turistas que, naturalmente, procuram estes espaços. Temos os caçadores que não perdoam um “bom garfo” e um bom convívio. Temos agentes comerciais que por cá passam e que gostam de apreciar uma boa culinária. Temos agricultores que aproveitam a hora do almoço ou jantar para fazerem os seus negócios. Temos ainda, as pessoas que vêm de fora para cá trabalhar e que procuram um bom prato caseiro.

 

Em Alcáçovas temos tudo isso e capacidade para dar respostas a tão exigentes solicitações.

 

No Restaurante “O Chio” encontramos a sabedoria da confecção tradicional associada à imagem do seu proprietário, que do grande “Fialho” em Évora soube trazer todos os condimentos para que em Alcáçovas se possa saborear o que de melhor se faz na Região Alentejo.

 

Nas entradas regionais encontramos a orelha de porco em vinagrete, cabeça de xara, um polvo em vinagrete, fígado de coentrada, entre muitas outras.

 

Mais adiante porque não pedir uma perna de borrego assado no forno, ou um cozido de grão, migas com carne de porco, sopa de cação ou uma sopa de tomate. Aconselho a visitar várias vezes este local para então não se perder a oportunidade de se desfrutar tão gostosos pratos.

 

A sobremesa é composta por uma excelente doçaria, como por exemplo uma bela mousse um pudim de ovos, um morgado, um mel e noz, entre outras possibilidades.

 

Tudo confeccionado de uma forma dita “caseira”.

 

Apesar do serviço não ser muito sorridente, pode-se afirmar que é feito com muito profissionalismo.

 

Para quem não conhece, a localização não pode ser mais simples: é na Rua da Esperança, uma das principais vias de Alcáçovas (quase que nem é preciso perguntar).

 

Para abrir o apetite.

 

Migas com carne de porco:

 

½ Kg com carne de lombo do porco;

½ kg de entrecosto do porco;

1 linguiça (pequena);

250 gr de toucinho;

6 dentes de alho;

1 colher de sopa de massa de pimentão;

Sal;

1 pão de ½ kg (do dia anterior).

 

Bom Apetite!

 

António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 13:07
| comentar | ver comentários (3)
Terça-feira, 26 de Setembro de 2006

***

O governo encomendou um estudo a um grupo liderado por Luís Fábrica, que é responsável pela Faculdade de Direito da Universidade Católica. E muito embora os números e os dados sejam assustadores, não são novidade para ninguém.

O peso do estado na nossa economia é excessivo, ou não fosse o estado a organização que em Portugal emprega mais pessoas. Logo aqui existe um sinal de preocupação. Porque é que o estado tem 737.774 funcionários e é tão ineficiente? É lógico que os funcionários públicos não são todos uma cambada de incompetentes, existe no funcionalismo público pessoas extremamente competentes e que merecem bem o ordenado que recebem. Mas pelo estado dos nossos serviços, tanto a nível central, como a nível local podemos concluir que estes são uma espécie em vias de extinção.

Mas falemos do relatório da equipa de Luís Fábrica. Um dos dados que mais me chamou a atenção e que mostra bem que algo está mal e que as coisas tem de mudar é o facto de os funcionários públicos absorverem 60% da totalidade dos impostos cobrados em Portugal. Enquanto que na Irlanda as despesas com funcionários públicos em percentagem das receitas de impostos é de 38,7% e na nossa vizinha Espanha, agora apontada como modelo a seguir por Portugal, é de cerca de 42%.

Mas o que pareceu chocar mesmo os senhores funcionários públicos foi o facto de o seu “tacho” deixar de ser para o resto da vida. Pois é meus caros acabou as longas tardes a jogar solitário, a ler revistas cor-de-rosa, etc., etc.

Se a proposta for aceite ou trabalham e desempenham bem as funções para as quais são pagos ou rua!

O novo sistema tende aproximar-se do sector privado e já não era sem tempo. Porque ninguém compreende, o porquê de que pelo o simples facto de ser funcionário do estado se tenha regras e regalias que nenhum trabalhador tem em nenhuma empresa.

A comissão faz nove propostas que a meu ver vão de todo ao encontro com as necessidades orçamentais do nosso país:

·         é indispensável e urgente suster o crescimento de efectivos e, se possível, reduzir o número de trabalhadores.

·         o esforço de redução de efectivos deve ser especialmente ponderado quanto ao pessoal auxiliar.

·         Concentrar actuação em sectores decisivos pela sua dimensão, como são a Educação e a Saúde.

·         Considerar que a redução do número de funcionários não implicará a redução de despesas se estes forem substituídos por contratação de serviços a empresas privadas. (mas eficiência dos serviços prestados iria aumentar com toda a certeza).

·         Actuar sobre os mecanismos que induzem aumentos automáticos (promoções e progressões) e o desenvolvimento da gestão por desempenho.

·         Introduzir de tectos orçamentais para aumentos salariais e para gastos com suplementos remuneratórios.

·         Aproximar as condições de trabalho ao sector privado (horários, faltas, férias).

·         Reduzir drasticamente o número de carreiras introduzindo a obrigatoriedade de fundamentação objectiva para a sua existência.

·         Criar a possibilidade de cessação de vínculos para os funcionários públicos por mau desempenho e reorganização de serviços.

 

 

Ainda há bem pouco tempo um grupo de empresários, economistas, gestores e políticos se reuniram no convento do Beato e defenderam uma redução em cerca de 200 mil funcionários públicos. Não podia estar mais de acordo.

rmgv

publicado por alcacovas às 21:54
| comentar | ver comentários (4)

Culturas

Actualmente a discussão sobre diferentes culturas sobe de tom hora a hora.

Porquê toda esta perturbação? Porquê tanta incompreensão, tantas críticas, tanto ódio?

É claro, para todos nós, que o enorme aumento da emigração para a Europa, de povos com credos religiosos diferentes, com tradições familiares estranhas (para os europeus), com valores éticos e morais que parecem, pelo menos, arcaicos, com uma visão da posição da mulher e dos filhos na sociedade quase diametralmente oposta, etc , etc , veio criar um enorme problema para todos os participantes.

Aqui, na Europa, falamos muito de assimilação, dos direitos de uns e outros. Pensamos, tentamos, incorporar os novos imigrantes, respeitando as suas culturas.

Mas, gradualmente, começamos a pensar se os imigrantes se devem integrar, adoptando a nossa cultura ou se devem conservar as suas.

Mas, neste caso, como é que se integram?

Nós vivemos numa pequena Vila onde , por enquanto, vivem apenas uns poucos imigrantes cujos países de origem têm culturas similares à nossa, quero dizer, de base cristã e até, muitos, com a mesma língua .

Mas tentem imaginar-se em Londres ou em Paris. O que é que pensariam?

Devemos impor a nossa cultura aos que queiram viver connosco? Ou não?

Os que criticam os nossos hábitos, conceitos e princípios estarão certos? Porque eles tambem nos querem impor aa suas culturas.

Porque e que nós não os podemos criticar? Porque somos mais compreensivos ? Porque a nossa cultura tem vindo a evoluir no sentido do respeito pelos outros, da compreensão dos seus costumes?

Onde estará a fronteira.

Algumas centenas de anos atrás nós  impúnhamos o abandono das práticas de outros povos. Era proibido ser canibal, era proibido andar nu, era proibido adorar uma pedra ou uma árvore, era proibido ter mais de uma mulher,  etc .  

Condenava-se à morte quem praticava uma religião proibida . Proibiam-se as mulheres de  estudarem, de saírem sozinhas , de votarem, etc .

Como é que vamos globalizar um Mundo cheio de diferenças (o que podia ser uma mais valia para todos), quando já não podemos viver fechados no nossos países?

AC

  

 

publicado por alcacovas às 15:25
| comentar | ver comentários (1)

LENDA ÁRABE

Diz uma lenda árabe que:

Dois amigos viajavam pelo deserto e num determinado ponto da viagem, discutiram e um deu uma estalada no outro.

O outro, ofendido, sem nada poder fazer, escreveu na areia:

- HOJE O MEU MELHOR AMIGO DEU-ME UMA ESTALADA.


Seguiram adiante e chegaram a um oásis onde resolveram tomar banho. O que levou um estalo e ficou magoado começou a afogar-se, sendo salvo pelo amigo.

Ao recuperar-se, pegou num canivete e escreveu numa pedra:

HOJE O MEU MELHOR AMIGO SALVOU-ME A VIDA.


Intrigado, o amigo perguntou:
PORQUE É QUE, DEPOIS QUE TE MAGOEI, ESCREVESTE NA AREIA E AGORA, ESCREVES NA PEDRA?

Sorrindo, o outro amigo respondeu:

QUANDO UM GRANDE AMIGO NOS OFENDE, DEVEMOS ESCREVER ONDE O VENTO DO ESQUECIMENTO E O PERDÃO SE ENCARREGUEM DE PASSAR E APAGAR A LEMBRANÇA. POR OUTRO LADO, QUANDO NOS ACONTECE ALGO DE GRANDIOSO, DEVEMOS GRAVAR ISSO NA PEDRA DA MEMÓRIA E NO CORAÇÃO ONDE NEM O VENTO POSSA PASSAR E APAGAR.

 

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 13:19
| comentar | ver comentários (1)

IMITAÇÃO

Plantar couves é imitar alguém

Louis Charles Alfred de Musset (Poeta/Dramaturgo) - França [1810-1857]

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 12:43
| comentar
Segunda-feira, 25 de Setembro de 2006

O monstro!

O texto que segue è parte dum artigo hoje publicado no DN.

Merece ser lido com atenção, a nível nacional e a nível concelhio.

Análise dos sistemas de carreiras e remunerações prevalecentes na função pública deste país, emerge um tal emaranhado de regimes contratuais, estruturas de carreiras, leques salariais, remunerações complementares, para além de uma omnipresente rigidez desde os mecanismos de admissão, até às progressões e às transferências, que mais parece estarmos perante a exuberante complexidade de uma selva tropical. Quem o diz é a comissão encarregue de rever todos estes sistemas, que, na sua síntese final em 42 pontos, descreve uma situação que só por milagre conseguiria ser eficiente nos serviços que presta.

A analogia com a selva parece tanto mais adequada, quanto se torna claro ao ler o referido relatório, que a situação actual resulta de uma multiplicidade de impulsos parciais, tanto ao nível de cada profissão, como transversalmente, para ir corrigindo desequilíbrios relativos ou executar novas tarefas na função pública, criando-se camadas sobre camadas de instrumentos rígidos de remuneração e de progressão, incoerentes entre si.

Como pegar nisto e introduzir simplificação, flexibilidade interna, incentivo ao mérito e coerência organizacional, eis uma tarefa tremenda para os próximos meses. Dela depende, em larga medida, o êxito da reestruturação do Estado.

 

AC

publicado por alcacovas às 11:45
| comentar
Domingo, 24 de Setembro de 2006

CAMINHADA JARDIM PÚBLICO DAS ALCÁÇOVAS – FONTE SANTA

0001be81

 

0001c3fa

 

0001dqz2

 

Fotos da Alexandra Correia e da Vera Silva

 

Um grupo de 25 pessoas participou numa caminhada que teve início no Jardim Público das Alcáçovas até à Fonte Santa (Ribeira das Alcáçovas).

 

Esta iniciativa decorreu no âmbito do Dia Mundial do Coração, desenvolvido a nível nacional pela Fundação Portuguesa de Cardiologia e coordenado a nível regional pelo Instituto do Desporto de Portugal.

 

No nosso concelho a iniciativa foi organizada pela Câmara Municipal de Viana do Alentejo, Junta de Freguesia das Alcáçovas e Sport Club Alcaçovense.

 

Decorreu apenas em Alcáçovas por ser o fim-de-semana da Nossa Senhora D´Aires.

 

O ponto de encontro foi no Jardim pelas 09h30 e a partida foi sensivelmente pelas 10h10. Dentro dos praticantes haviam pessoas com idades compreendidas entre os 8 e 80 anos.

 

Os entusiastas deste tipo de iniciativas tiveram a oportunidade de, ao longo do percurso, puderem desfrutar da excelente qualidade ambiental e espectacular paisagem. Foi também uma bela oportunidade para se poder conversar descontraidamente.

 

O percurso demorou sensivelmente a ser realizado numa 01h20.

 

À chegada foi-se visitar a Fonte Santa e desfrutar da sua fresca água e da tranquilidade que este espaço nos oferece.

 

Pelas 12h30 apareceu o Sr Presidente da Junta da Freguesia das Alcáçovas, sr José Jacinto, que nos trouxe um belo lanche, elaborado pela Vera Cardoso – membro da equipa da JFA, para então realizarmos o tão esperado pic-nic.

 

Os Srs Vereadores António Costa da Silva e João Penetra (participantes na caminhada), e o sr Presidente da Junta de Freguesia explicaram os motivos da organização conjunta desta iniciativa.

 

A base essencial da explicação teve a ver com a importância que, o desporto em geral e do andar a pé em particular, têm para a saúde do ser humano. Destacou-se a questão que nos trouxe ali, que tinha a ver com a importância destas simples iniciativas para a prevenção de doenças cardio-vasculares. As três instituições envolvidas estimularam os participantes a desenvolverem novas iniciativas do género.

 

Neste período ficou o compromisso dos participantes em promoverem mais caminhadas (uma vez por mês) no último domingo de cada mês. O ponto de encontro ficou determinado que será sempre o Jardim Público, com a partida às 10h.

 

Ficou também um compromisso final de incentivar mais pessoas para se juntar a esta ideia.

 

No regresso optou-se por outro percurso para se diversificar um pouco a paisagem. O percurso de regressou demorou a ser efectuado em sensivelmente 01h30.

Para o final do mês de Outubro (domingo - dia 29) há mais.

 

 

António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 20:13
| comentar | ver comentários (3)

MORENSE – S. C. ALCAÇOVENSE (2-1)

Este foi o primeiro desafio do S. C. Alcaçovense nesta temporada.

 

Iniciámos o jogo com a seguinte equipa: Guarda-Redes: Pernas; Defesas: Nelson Mirandinha; Padeirinha, Nuno Chinês e Adelino; Meio-Campo: Pedro Gadunha, Hugo Painho e Carlos Mira; Atacantes: João Pedro, David e Nuno 45.

Ficaram no banco o Ricardo (guarda-redes), Luís da Eira, Pedro Santos, António e Pedro Carapinha.

 

A primeira parte foi de uma toada algo morna. O primeiro lance de perigo foi protagonizado pelo Nuno 45 do S. C. Alcaçovense, após uma falha brutal do guarda-redes do Morense.

 

O primeiro golo (1-0) foi do Morense, derivado da concretização de uma grande penalidade. Parece-me que foi um penalty verdadeiro, embora oriundo numa grande confusão na área.

 

Logo de seguida houve outra jogada de perigo do Morense que foi concluída com uma espectacular do Pernas: Podemos mesmo dizer que foi ao nível das defesas que só os grandes guarda-redes sabem fazer.

 

Entrou-se num período de maior pressão do S. C. Alcaçovense, donde resultou um golo de belo efeito do Nuno 45 (1-1). A jogada parte de um grande passe do Hugo Painho que desmarca o Nelson Mirandinha e este faz um centro perfeito para a cabeça do Nuno 45, que não dá hipótese nenhuma à defesa e guarda-redes do Morense. Estava feito o empate.

 

O resultado não se alterou até ao intervalo.

 

Nesta fase do jogo o treinador João Pereira faz uma substituição para dar mais força ao meio campo. Retira o David, faz recuar o Carlos para o lado direito da defesa e lança o Nelson Mirandinha para extremo direito.

 

A segunda parte com o segundo golo do Morense (2-1). Este golo surge após um centro para a área, no qual o Pernas faz uma defesa mas a bola vai parar aos pés de um jogador do Morense, que chuta para o fundo da baliza.

 

Como reacção o treinador substitui o João Pedro pelo Luís Eira.

 

A partir daqui só houve Alcaçovense. A busca incessante do golo não deu os resultados pretendidos. O treinador colocou o Padeirinha a dar apoio ao Nuno 45, mas a infelicidade perseguiu a equipa até ao final do jogo.

 

Como nota positiva podemos referir a reacção da equipa face à desvantagem (apesar de não ter tido sucesso). Como nota negativa, a perda de muitas bolas no um contra um.

 

Nesta fase a equipa ainda ressente a ausência de alguns jogadores, como por exemplo a falta do Manuel Jorge (ainda muito mal preparado fisicamente), dos lesionados Chico Molezas, Canhão e outros.

 

Acredito seriamente que, no dia 30 de Setembro – sábado, vamos fazer um bom resultado frente ao S. António.

 

Resultados:

 

1ª Jornada:

Santana 1 – Arraiolense 0;

Morense 2 – Alcaçovense 1;

Aguiar 2 – Brotense 8;

Stº António 2 – Cabrela 5;

Cortiço 1 – Giesteira 2

 

 

 

António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 19:26
| comentar | ver comentários (5)
Sábado, 23 de Setembro de 2006

SÁBADO

do Latim sabbatu e Hebreu xabbath, dia de descanso

s. m.,
sétimo dia da semana começada ao domingo;
dia de descanso (entre os Judeus).

In Dicionário da Priberam - Texto Editores Universal

Sábado, apenas é utilizado pelos portugueses, espanhóis (sabado), franceses (samedi), italianos (sabato) e hebraicos (shabat).

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 14:26
| comentar

Forum Alentejo 2015

Estive ontem em Évora para ouvir falar o deputado Prof. Bravo Nico e o Eng . Sevinato Pinto, num evento organizado por um grupo de professores e licenciados da UE (ver título).

Antes dos dois oradores convidados falaram também alguns membros do Forum 2015.

Foi longo, mas valeu a pena. Faço votos, sinceros, para que o Forum prossiga pelo caminho agora aberto, sem desfalecimentos e,  sobretudo, sem cedências.

Nós falamos muito, agimos às vezes e cedemos demais. Por interesse, por solidariedade, por compreensão romântica, por "respeito" das hierarquias e posições sociais, etc.

Não cedam!

Mas voltemos ao que se passou ontem.

As intervenções tiveram todas muito bom nível, mas na minha opinião pecaram por dar demasiado tempo à análise de dados estatísticos e afins sobre a história recente do Alentejo.

A população, o envelhecimento, a escolaridade, etc. Dados e mais dados que, julgo, todos os presentes conhecem em pormenor.

Apenas o Eng , Sevinato Pinto fugiu a esta "tentação".

Claro que falar e fundamentar o que está mal nunca é demais. Mas o que espero é que o Forum continue e comece a abordar, a discutir o futuro.

O que é que queremos que o Alentejo seja? O que é que pensamos que o Alentejo possa ser?

O que é que cada um de nós pode fazer? O que é que um Forum pode acrescentar?

Há tanto para discutir, para projectar, para construir. Força!

Espero vir a assistir a outros eventos deste tipo, fiquei, como se costuma dizez , com água na boca

AC

publicado por alcacovas às 12:19
| comentar | ver comentários (1)
Sexta-feira, 22 de Setembro de 2006

ARTE

A moral da arte reside na sua própria beleza

Gustave Flaubert -  (Escritor) França [1821-1880]

Editado por António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 15:10
| comentar

JÚLIO POMAR

D. Quixote e os Carneiros, 1998 Rep. de obra antes de concluída, 1997 para: Serigrafia 79 x 52,5 cm / papel: 100 x 75 cm Atelier Jorge Bastos / Ed. Auto-Clube Médico Português, Lisboa Prova de Artista, n. num. / Ass., n. dat. Lisboa, col. Fundação Júlio Pomar

Editado por António Costa da Silva

publicado por alcacovas às 15:07
| comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 21 de Setembro de 2006

23 Coisas que não se pode morrer sem saber:

1- O nome completo do Pato Donald é Donald Fauntleroy Duck.

2- Em 1997, as linhas aéreas americanas economizaram US$40.000 eliminando uma
azeitona de cada salada.

3- Uma girafa pode limpar suas próprias orelhas com a língua.

4- Milhões de árvores no mundo são plantadas acidentalmente por esquilos que
enterram nozes e não lembram onde eles as esconderam.

5- Comer uma maçã é mais eficiente que tomar café para se manter acordado.

6- As formigas espreguiçam-se pela manhã quando acordam.

7- As escovas de dentes azuis são mais usadas que as vermelhas.

8- O porco é o único animal que se queima com o sol além do homem.

9- Ninguém consegue lamber o próprio cotovelo, é impossível tocá-lo com a
própria língua.

10- Só um alimento não se deteriora: o mel.

11- Os golfinhos dormem com os olhos abertos.

12- Um terço de todos os gelados vendidos no mundo são de baunilha.

13- As unhas das mãos crescem aproximadamente quatro vezes mais rápido que as
unhas dos pés.

14- O olho da avestruz é maior do que o seu cérebro.

15- Os destros vivem, em média, nove anos mais que os canhotos.

16- O "quack" de um pato não produz eco, e ninguém sabe porquê.

17- O músculo mais potente do corpo humano é a língua.

18- É impossível espirrar com os olhos abertos.

19- "J" é a única letra que não aparece na tabela periódica.

20- Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo.

21- Os chimpanzés e os golfinhos são os únicos animais capazes de se
reconhecer na frente de um espelho.

22- Rir durante o dia faz com que você durma melhor à noite.

23- 40% dos telespectadores do Jornal Nacional dão boa noite ao jornalista no
final.


Curiosidade:
Aproximadamente 70 % das pessoas que lêem isto, tentam lamber o cotovelo! Não
adianta, não dá. E digam lá que não são coisas altamente importantes para a vida de cada um…

Hehehehehe

Roubado ao André Correia (não sei onde é que arranjou isto, mas tem muita piada)

Editado por António Costa da Silva

 

publicado por alcacovas às 19:17
| comentar

Aguias de Bonelli

As águias de Bonelli (um ornitólogo italiano) estão em PERIGO de extinção.

As poucas (cerca de 1000 casai) que restam vivem na Europa, a maioria em Espanha e algumas em Portugal (cerca de 10%).

Existirão no nosso país cerca de 100 casais e uma parte voa no Alentejo/Algarve, nas serras , e nas terras da Castro Verde e na margem esquerda do Guadiana..

Nos últimos anos a população desta espécie até aumentou aqui um pouco, mostrando que no Alentejo  a águia de Bonelli encontra boas condições naturais, tranquilidade e alimento.

Pode parecer coisa de menos importância, mas as aparências iludem.

Ter no nosso território uma espécie raríssima a nível mundial é uma responsabilidade, mas também uma benesse.

Podemos mostrar que somos capazes de defender e ajudar um património universal. Podemos ter o privilégio de ver uma dessas águias a voar próximo de nós. Podemos ter aqui muitos visitantes para verem a águia de Bonelli (e outra espécies raras).

Para ajudar a aumentar o número destas águias no Alentejo, uma ONG ambiental, o CEAI, sediada em Évora viu aprovada pela UE uma importante candidatura (2 milhões de euros). É uma honra e uma responsabilidade  mostrar, mais uma vez, que temos especialistas competentes e muito motivados (muitas vezes com grande sacrifício pessoal) para tarefas desta envergadura.

A tarefa é difícil, mas estou certo que vai ser vencida com êxito total.

O trabalho do Ceai vai prolongar-se por 4 anos.

 AC

publicado por alcacovas às 16:44
| comentar

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Para onde vamos?

Arquivos

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Visitas a partir de 5/3/2006

De onde nos visitam?

outils webmaster
contador

Pesquisar neste blog