Quinta-feira, 29 de Junho de 2006

Notícias de Alcáçovas

Futsal infantil

Terminou a 1ª fase, todos contra todos (poucos mas cheios de entusiasmo), com os seguintes resultados:

Torpedo 14 - Casa Santos Murteira CSM ) 0

Printalentejo 4 - Técnicos 1

Torpedo 3 - Printa 1

Técnicos 9 - CSM 1

Torpedo 9 - Técnicos 0

Printa 30 - CSM 1

Classificação:

Torpedo 9 pontos, 3 V e 0 D, 26 GM -   1 GS

Printa       6                2 V e 1 D, 35        -   5

Técnicos 3                1 V    2 D, 10        - 14

CSM           0                0 V    3 D,    2       - 53

No Domingo, pelas 21.00 H joga-se a grande final, entre o Torpedo e a Printa . Assinalo alguns aspectos que me parecem relevantes:

O entusiasmo dos miúdos , a correcção e empenho, apesar do grande desnível entre algumas das equipas. O facto de estarem presentes 4 equipas de 3 Vilas, Alcáçovas, Viana e Torrão e de numa delas, alinharem jogadores do concelho vizinho (considerado rival).

AC

publicado por alcacovas às 23:05
| comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 28 de Junho de 2006

Correio dos Leitores

Autoridade da Concorrência:

 

Será que ainda se pode chamar assim? É que ao que parece já não é autoridade, nem consegue “impor” concorrência. Nos últimos dias a Autoridade da Concorrência (AC), tem sido posta em causa quer por “ministros”, por médicos e Ordem dos Médicos. Senão vier ninguém com legitimidade suficiente repor a autoridade da AC, onde isto irá parar?

Uma das coisas interessantes da Economia é a concorrência perfeita, que consiste basicamente em o preço igualar o custo marginal, talvez seja uma utopia, no entanto o objectivo da AC é o de aproximar o preço ao custo marginal, descobrindo e desmantelando monopólios, carteis e oligopólios. O consumidor agradece! Tal como os médicos agradeceram quando a AC desmantelou o cartel das farinhas, pois passaram a comprar o pão mais barato! A AC é uma das instituições mais importantes do país pois é a que melhor defende os consumidores que sofrem de informação assimétrica, e goza de um certo prestigio lá fora, encontrando-se entre as melhores da Europa, mas pelos vistos não sei por quanto tempo mais… Não precisamos do D. Sebastião mas sim de uma verdadeira Autoridade da Concorrência!

Para finalizar gostaria de deixar aqui uma palavra de apreço e agradecimento a todos os que trabalham na AC pelo bom trabalho que têm feito, e espero que vos sejam dadas condições para trazerem ainda mais benefícios para os consumidores, é que no fundo todos (mais de 10 milhões) somos consumidores.

 

 

DFR (Dario F. Ruivo)

darioruivo@gmail.com

(artigo publicado no Diário Económico)

publicado por alcacovas às 14:30
| comentar
Terça-feira, 27 de Junho de 2006

***

A estrada, como uma senhora, 
Só dá passagem legalmente.
Escrevo ao sabor quente da hora 
Baldadamente.

 

Não  saber bem o que se diz
É um pouco sol e um pouco alma.
Ah, quem me dera ser feliz
Teria isto, mais a calma.

 

Bom campo, estrada com cadastro, 
Legislação entre erva nata.
Vou atar a lama com um nastro
Só para ver quem ma desata.

Fernando Pessoa
**
Bom dia!
**
rmgv
publicado por alcacovas às 09:02
| comentar
Domingo, 25 de Junho de 2006

***

A nova lei das Finanças Locais, que recentemente foi apresentada pelo ministro António Costa, diz em traços gerais e de uma forma muito simples o seguinte: uma fatia do IRS será fixada pelos municípios. Olhado a questão pelo lado contrário diz: que uma fatia do IRS não será fixada pelos municípios. Ou seja, reverterá para quem paga – cada um de nós.

 

            Um dos muitos pontos positivos da nova lei das Finanças Locais passa pela responsabilização das câmaras. Que em vez da anterior transferência directa do orçamento de Estado, passam a receber só uma parte da mesma. A isso somam 5% do IRS dos seus munícipes. Mas (e agora aqui é que vem o ponto central da questão) o Estado obriga apenas a que fiquem com 2% desse total, o que significa que os outros 3% dependem de decisão política. Isto é, uma câmara pode se assim o entender ficar com esses 3%, ou devolvê-los integralmente ao munícipe ou reter apenas 1% ou 2% (e devolver 2% e 1% respectivamente). Esta lei acima de tudo é uma lei que permite às autarquias concorrem entre si na tentativa de captação de população, cobrando mais ou menos IRS. Permitindo desta forma que pequenas localidades concorram com os grandes centros. Dado que as pequenas localidades beneficiam de preços na habitação mais baixos que os grandes centros, o que só por si já atrai pessoas, com a nova lei das Finanças Locais as pequenas localidades podem ter outro trunfo na “manga” a diminuição da taxa de IRS.

 

            Por fim a questão que me levou a escrever este texto: qual irá ser a posição da Câmara Municipal de Viana do Alentejo face à nova lei das Finanças Locais?

Será que vai cobrar a taxa máxima? Ou pelo contrário vai decidir devolver os 3% aos contribuintes do concelho? Podendo também optar por as taxas intermédias de 1% e 2%.

            Seja qual for a decisão do executivo, é indispensável que a mesma seja justificada junto dos cidadãos das três freguesias que fazem parte do concelho.

rmgv

publicado por alcacovas às 23:58
| comentar | ver comentários (6)
Quinta-feira, 22 de Junho de 2006

Notícias de Alcáçovas

- Torneio de Futsal Infantil do SCA , 2ª edição

Estão inscritas 4 equipas:

Casa Santos Murteira, Alcáçovas

Os Técnicos, Alcáçovas

Printalentejo , Viana do Alentejo

Torpedo, Torrão

Início dia 24, Sábado, pelas 20.30 H .

Sauda-se a presença das equipas de Viana e do Torrão que são já parte assídua e amiga nas iniciativas desportivas do SCA .

A final realizar-se-á no dia 2 de Julho pelas 21.00 H . O torneio decorre durante a próxima semana, excepto Sexta-feira, sempre ás 21.00 H .

- Festa do Emigrante

Iniciam-se no próximo dia 30, Sexta-Feira, as Festas dedicadas aos nossos emigrantes. Realização do  SCA com o seguinte programa:

Dia 30 de Junho

Abertura do bar

Projecção em écran gigante dos quartos de final do Campeonato do Mundo, pelas 15.00 H e pelas 20.00.

Baile com Paulo Gamito a partir das 22.00.

Dia 1 de Julho

Bar

Quartos de final do CMundo

Baile com Hugo Carrageta

Dia 2 de Julho

Bar

Final do Torneio Infantil de Futsal

Baile dom os Maurícios

AC

publicado por alcacovas às 14:26
| comentar | ver comentários (6)
Quarta-feira, 21 de Junho de 2006

...

A maioria dos portugueses nunca utilizou um computador.

 

Percentagem de pessoas que nunca utilizou um computador:

 

Grécia – 65%

Itália – 59%

Hungria – 57%

Chipre – 54%

Portugal – 53%

 

Dados: Eurostat

 

Na Dinamarca 90% da população esta habilitada para trabalhar computadores e na Suécia 89%. São pequenos “pormenores” como este, que nos mostram o longo caminho que ainda temos de percorrer!

rmgv

 

publicado por alcacovas às 18:37
| comentar | ver comentários (2)

***

Parece que a opinião dos pregadores da tragédia desta vez estava errada. No comunicado emitido pela Comissão Europeia, a mesma fez saber que Portugal está no bom caminho para chegar a 2008 com um défice abaixo dos três por cento do PIB. No mesmo comunicado é feito saber que as medidas de contenção devem continuar, com medidas adicionais que devem passar por uma redução de gastos ou pelo aumento das receitas, implicando esta última medida, um novo aumento dos impostos.

Se o défice verificado neste ano for de 4.6% significa que para atingir a meta de ter um défice abaixo dos três por cento do PIB, o défice público tem que ter uma redução de 1.6 pontos percentuais nos próximos anos.

rmgv

publicado por alcacovas às 18:32
| comentar
Domingo, 18 de Junho de 2006

Crónicas de Alcáçovas

Um poeta das Alcáçovas, Bacalhau

 

Petição feita pelo poeta Bacalhau ao Ex.mo Conde da Costa então governador civil

 

 

Excellentissino senhor,

como tem v. ex.a passado?

Eu passo bem muito obrigado,

Para tudo que precizo lhe for.

Tudo que está ao seu dispor

Vai passando bem?...

Pois é o gosto que a gente tem,

Em viver num mundo sem novidade,

Que esta é a felicidade,

Que a todos nos convem.

 

Excellentissimo senhor

Eu de rastos lhe venho pedir,

Tenha a bondade de me acudir,

Com esta esmola e favor;

Eu a meu filho tenho amor,

Vejo-o dentro de uma prizão,

Tenha muita compaixão

D´aquelle pobre desgaçado,

Para que elle seja aliviado,

E peça ao senhor Girão.

 

Este meu atrevimento

V. ex.a queira perdoar,

De o vir importunar

Com o meu fraco talento,

Mas não sendo do seu oontento

Também não é do meu,

Para o servir aqui estou

A toda a hora do dia

Eu sou Antonio Maria

De v. ex.a criado seu.

 

rmgv

publicado por alcacovas às 18:49
| comentar
Sexta-feira, 16 de Junho de 2006

Desemprego

Existem 2 tipos de desemprego, o desemprego friccional e voluntário que é devido às pessoas se despedirem para encontrar novos trabalhos e o desemprego estrutural e involuntário que é devido ao salário vigente estar acima do equilibro (onde apenas existiria desemprego friccional). As 3 causas para o salário vigente se encontrar acima do equilíbrio são os sindicatos, o salário mínimo e os salários de eficiência.
            Os sindicatos só se importam com as pessoas empregadas (insiders) pois são estas que pagam quotas deixando de lado os desempregados (outsiders), e cada vez que conseguem aumentar os salários reais e acima da produtividade, criam desemprego. Por outro lado o Governo com a imposição do salário mínimo cria incentivo ao desemprego, pois se houver um trabalho que me pague 1 € a mais do que o salário mínimo eu prefiro ficar desempregado (até mesmo se fosse mais, dependendo agora das preferências entre lazer e trabalho de cada um). Por fim os empresários com intuito de incentivarem os funcionários, elevam os salários de modo a estes trabalharem mais afincadamente, mas depois os salários são muito rígidos à descida e ficam acima do equilíbrio onde só existiriam desempregados voluntariamente. Resta agora saber como dividir as percentagens de responsabilidade por cada um….
            Se se concertassem (sindicatos, governo e empresários) será que conseguiam resolver o problema? Talvez a Autoridade da concorrência não deixasse, mas senhor ministro será que não podia dar uma ajudinha?
 
Dario F. Ruivo
darioruivo@gmail.com
publicado por alcacovas às 20:01
| comentar | ver comentários (2)
Quinta-feira, 15 de Junho de 2006

Alcáçovas, procurando o futuro

Temos discutido, ainda que poucas vezes e com pouca profundidade, o que poderá ser o futuro desta Vila.

Sabemos, todos, que a população vai envelhecendo e diminuindo, que o desenvolvimento, em todas as áreas, é pequeno, insuficiente para manter aqui os mais jovens e/ou atrair "migrantes", nomeadamente outros filhos da terra ou seus descendentes que, desde tempos recuados, foram saindo para outras zonas do País, quase sempre para poderem encontrar os empregos que aqui não existiam (e cada vez existem menos).

Há dias um null , emigrado (Setúbal), mas sempre atento aos problemas da sua terra propôs que se fizesse um inquérito junto da população, sobretudo activos, para procurar compreender melhor os problemas da Vila e, se possível, recolher ideias, sugestões para combater a desertificação continua em termos humanos.

Após alguma reflexão e reuniões, nomeadamente com o João Pereira e o Fabi , da Associação dos Amigos de Alcáçovas, o Ricardo Vinagre e o signatário resolvemos, para já, 2 coisas:

- Fazer o tal inquérito com a colaboração da Associação de Pais, da Terras Dentro e da Junta de Freguesia. Esperamos começar a receber respostas na próxima semana. E depois fazer a análise dos dados recebidos para elaborar um pequeno relatório de que daremos notícia a todos os interessados.

- Reanimar a Associação dos Amigos de Alcáçovas que, pode e deve ter um papel dinamizador, aglutinador e divulgador em defesa da Vila, desde os seus monumentos, a sua história, os seus costumes e tradições, até às suas riquezas ambientais e passando sempre, como é óbvio, pela sua gente.  

AC

publicado por alcacovas às 10:51
| comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 13 de Junho de 2006

Mais um vez, o caminho mais fácil!!!

Hoje ao ver a prova modelo de Economia que dá acesso ao ensino superior a maiores de 23 anos, fiquei sem palavras. Como é que se pode admitir pessoas numa Universidade quando o nível de exigência das perguntas é do género: “Os bens complementares, quando separados, satisfazem, de igual modo, as necessidades?”.

            É inadmissível que se baixe o nível de exigência a isto! Ao baixar o nível desta forma todos temos a perder, por um lado são as Universidades que vão perder qualidade e prestigio pois o nível dos seus alunos vai baixar significativamente, por outro lado as próprias pessoas que se submetem a estes exames também saem e muito prejudicadas, pela simples razão de não existir uma “discriminação” positiva, pois aqueles que menos estudam saem beneficiados em comparação com aqueles que se esforçaram, dedicaram e estudaram para fazer a referida prova.

            Um simples exemplo é a pergunta acima que ilustra bem o que eu acabo de escrever, qualquer pessoa que toda a sua vida tenha estudado línguas responderá com toda a facilidade à mesma. Deste modo como é que se pode admitir que se coloque a mesma questão a alguém que quer seguir a área económica? É o mesmo que perguntar o verbo “to be ” a um pessoa que esteja no 12º ano e queira ir para Inglês.

            De forma alguma é este o caminho a seguir para que a formação dos portugueses aumente. Se escolhermos este caminho a formação das pessoas não aumenta, ou melhor aumenta os anos que estudam, não sendo isso significado de um aumento de competências e da formação. Ou escolheremos este caminho estamos a apostar no facilitismo e nos piores, deixando a exigência apenas para os discursos cheios de pompa e circunstância dos nossos políticos. E desta forma disfarçar os números vergonhosos no que diz respeito à educação em Portugal, onde para além do existir um nível muito baixo de escolaridade, todo o ensino deixa muito a desejar.  

            Quando esta medida foi anunciada fiquei verdadeiramente entusiasmado, pois acreditava que era desta que íamos dar a oportunidade a todos aqueles que queria estudar e pelas mais diversas razões não o puderam fazer mais cedo. Mas nunca me passou pela cabeça que fosse através de testes com este é exemplo que íamos testar as competências das pessoas.

            Todos nos lembramos do falecido exame AD HOC onde as pessoas eram verdadeiramente postas à prova e só passavam aqueles que sabiam e não todos os que lá iam.

            È urgente rever estes modelos de exames de acesso ao ensino superior, para que a formação dos portugueses aumente pelo caminho que de facto deve crescer, pelo caminho do rigor e da exigência e não o do facilitismo que no médio prazo nos conduzirá sem dúvida nenhuma para a cauda da Europa no ensino Superior (se isto não for já o fim), para não falar do dinheiro que o estado vai empregar em muitas destas pessoas sem que daí obtenha os devidos dividendos.

 

P.S.: Sintam-se excluídos deste texto todos aqueles que verdadeiramente trabalharam e estudaram para conseguir entrar no ensino superior. Para esses desejo toda a sorte do mundo nesta sua nova etapa.

 

rmgv

publicado por alcacovas às 21:27
| comentar | ver comentários (13)
Domingo, 11 de Junho de 2006

Leitura Recomendada

Sobre o Crescimento da China, por Martin Wolf.

 

rmgv

publicado por alcacovas às 23:08
| comentar | ver comentários (3)

Notícias de Alcáçovas

Acabou o torneio de Futsal do SCA.

O3º lugar foi para o Torpedo que venceu o Germano por 1 - 0.

Na final a vitória, após prolongamento, foi para a Printalentejo por 4 - 2. O jogo foi emotivo, com enorme aplicação de todos os intervenientes e a Printa acabou por vencer com justiça.

Parabens a todos.

AC

publicado por alcacovas às 19:50
| comentar | ver comentários (1)

Crónicas de Alcáçovas

UM POETA DAS ALCÁÇOVAS, BACALHAU

Narrativa feita pelo poeta da prisão do filho para o serviço militar

 

 

Na era de mil oitocentos oitenta e três

A vinte e dois do mez de Novembro

Prenderam, bem me lembro,

O meu filho como maltez

A trinta do mesmo mez

Fiador lhe perguntaram,

No outro dia o inspeccionaram

Se mais pequena demora

E logo n´esta hora

Praça lhe assentaram.

 

Por que a lei manda apresentar,

Aquelle em quem caíu a sorte,

Mas em o empenho sendo forte,

Entra a lei a entortar, pois devia-se apresentar

Aquelle que na sorte cae,

Ou elle, ou seu pai,

Com os bens que tiverem,

Porque se assim não fizerem,

D´aqui a nada nenhum lá vai.

 

Oito rapazes se livraram,

Por que todos tiveram padrinhos,

O meu seguiu os tristes caminhos,

Que por elle nunca se empenharam,

Boas gorgetas embolçaram

Fazendo-me a mim tortura,

O meu filho cheio de penura,

Passando desgostos fortes,

Isto não se lhe chamam sortes,

Chama-se-lhe uma impostura

rmgv

publicado por alcacovas às 17:53
| comentar
Sábado, 10 de Junho de 2006

Correio dos Leitores

Igualdade dos Géneros:

 

Évora, Sexta-feira 9 de Junho de 2006

 

            Quantos prémios Nobel de Economia (ou de outras áreas) foram ganhos por mulheres? Comparativamente aos homens muito poucos… (tendo em conta todas as áreas, pois em Economia não ganharam um). Quantas mulheres já desempenharam altos cargos públicos em Portugal ? (Que me lembre, uma…). Quantas mulheres já dirigiram em Portugal, Universidades e Empresas? (Poucas, julgo…).

            Pois é… Quanto a mim temos entre mãos um problema estrutural. E como resolvê-lo, como se resolve um problema estrutural? Com leis de paridades? Parece-me um absurdo… Um problema estrutural resolve-se com educação e formação e aí já existe igualdade entre géneros (que não existia anteriormente e por isso é que as mulheres não desempenharam os papéis atrás referidos).

            Está provado (através de experiências realizadas) que as mulheres conseguem realizar muito mais tarefas simultaneamente do que os homens (tal como podemos constatar dia-a-dia), com o acesso à formação e à educação que outrora lhes estava vedada, tenho a esperança de que com o tempo as mulheres passem a desempenhar todos estes cargos e ainda melhor do que o os homens…

            Mas agora depende delas, não podemos obrigar as mulheres a sentirem-se atraídas pela Política ou pela Economia…

            Mas se querem igualdade, porque não elaborar leis para os homens e mulheres alternarem todos os altos cargos? Porque não atribuem o Nobel de Economia alternadamente entre géneros? Porque não colocar 1/3 de cada clube (Benfica, Sporting e Porto) nas listas onde querem fazer isso com os géneros?

            Porque não faz sentido algum! As pessoas que exercem esses cargos e ganham esses prémios devem ser as mais capazes, as mais competentes e melhores formadas independentemente se forem todas mulheres e/ou do Vitória de Setúbal…

            Onde urge a igualdade (não entre os géneros pois aqui essa já existe…), é no acesso à informação, formação, educação, cultura e saúde (para fortalecer o capital humano) de forma a podermos crescer de forma sustentável, independentemente do género que conseguir o “tacho e/ou cunha” para liderar este País.

 

DFR (Dario F. Ruivo)

Estudante de Economia da Universidade de Évora

l19900@alunos.uevora.pt

publicado por alcacovas às 01:41
| comentar | ver comentários (3)

Crónicas de Alcáçovas

UM POETA DAS ALCÁÇOVAS, BACALHAU      (act.)

 

                «O poeta Bacalhau possuia um jumento, que, sendo atacado de grave enfermidade, lançou ao almagem.

                O animal apezar do lastimoso estado em que se encontrava, procurou, por trez vezes, a casa do dono, que compadecido do seu companheiro, carinhosamente o tractou e conseguiu melhoral-o, e pela satisfação do restabelecimento de um e o gozo do outro, lhe dedicou as decimas seguintes: »

 

 

Eu tenho um irracional,

Que lhe chamamos um burrinho

E por bem poucoxinho

Me não morre com grande mal;

Elle já estava mortal,

Já se não podia erguer,

Elle não queria comer,

Estava de orelha derrubada,

D´ali senão esperava nada,

Estava em pontos de morrer.

 

Eu desprezava o meu burrinho,

E a elle não lhe pareceu mal,

E fez da casa um hospital,

E agora está melhorzinho;

Mas achei-lhe graça coitadinho,

Agora livre de mangação,

Vêr aquella discrição,

De sempre à porta vir parar,

O tio Roque foi o alveitar,

Já tenho o burro são.

 

Deus quiz fazer-me ver,

Que o não devia despresar,

Que devia d´elle tractar,

Em minha casa até morrer,

Porque este era o meu dever,

Ter dó d´elle coitadinho,

Até se achar melhorzinho,

Para eu andar a cavallo,

Pois ero meu regalo,

Ter vivo o meu burrinho.

 

(cont.)

 

rmgv

publicado por alcacovas às 00:59
| comentar
Sexta-feira, 9 de Junho de 2006

Crónicas de Alcáçovas

UM POETA DAS ALCÁÇOVAS, BACALHAU

 

«Existe na villa de Alcáçovas um individuo por nome - Arcenio Maria, vulgo o Bacalhau - que possue o dom natural da poesia, e apesar da falta de conhecimentos e de mal lêr, tem pensamento esplendido. 

   A memoria é robusta e prodigiosa, pois tendo mais de oitenta annos de edade, conserva grande copia de poesias que, desde a mocidade, ha composto.

   A corda d´aquelle relogio, na recitação de poesias, é interminavel.

   Como o poeta Bacalhau constitue uma das notabilidades das Alcáçovas e por varias vezes tem manifestado o mais ardente desejo de ver publicadas pela imprensa as suas decimas offerecemos como amostra, algumas das suas produções poeticas.» 

 

 

(cont.)

 

in: Breves Memorias da Villa das Alcáçovas

 

Depois de ler mais uma vez as Breves Memorias da Villa das Alcáçovas, da autoria do Padre Reitor Joaquim Pedro de Alcântara, achei que era injusto para o nosso conterrâneo Bacalhau, nós aqui no blog não satisfazer um desejo seu: ver a sua obra publicada na imprensa. Sei que um blog não é um jornal, mas pode andar muito perto disso e ser melhor que muitos jornais! 

Por isso a partir de hoje nas crónicas de Alcáçovas, prestamos a devida homenagem ao poeta Bacalhau. Transcrevendo para o blog as sua décimas que se encontram publicadas no já referido livro do Padre Joaquim de Alcântara.

No entanto nesta e na próxima crónica faremos uma pequena introdução para que se compreenda melhor quem era este indivíduo, que no seu tempo foi uma individualidade importante das Alcáçovas.

 

rmgv

 

publicado por alcacovas às 01:13
| comentar | ver comentários (3)
Quinta-feira, 8 de Junho de 2006

Notícias de Alcáçovas

- Torneio de futsal do SCA

Meias-finais.  Germano 1 - Printalentejo

                          P. Morita 5 - Torpedo 1

No Sábado a grande final entre a P. Morita e a Printalentejo.

Apareçam !

AC

publicado por alcacovas às 20:30
| comentar

***

 

Todos nós sabemos que Alcáçovas é uma pacata vila alentejana e como todas as localidades do interior do nosso país pode estar condenada a uma contínua perca de população activa que se desloca para os centros urbanos, onde certamente encontrará mais trabalho. De facto isso pode ser o resultado para muitas vilas e aldeias do interior, mas não acredito que seja o futuro de Alcáçovas, por dois motivos:

  • À elevada taxa de casais jovens que existem na nossa terra, muitos deles sem qualquer ligação anterior a Alcáçovas. Mas que vem para cá morar principalmente pelos preços das casas em Évora e pelos bons acessos rodoviários que ligam a nossa vila tanto a Évora, como a Montemor-o-Novo.  Existindo num entanto ainda um grave problema no que diz respeito a ligações    rodoviárias, que é a estrada que liga Alcáçovas a Alcácer do Sal. Que com um carácter de urgência a discussão tem que constar na agenda das entidades       responsáveis. Não podemos admitir que a nossa vila tenha uma ligação tão       importante naquele estado de triste degradação.
  • O segundo motivo é mais emocional do que racional e têm ligação directa ao afecto que os alcaçovenses tem pela sua terra, levando-me a acreditar que existe as gerações mais novas não vão migrar da nossa vila e nesta realizarão os seus investimentos, enfim tenho muita fé que não só a minha geração, mas aquelas que são um pouco mais velhas e as que são mais novas sejam o pulmão de Alcáçovas.

Tornar Alcáçovas um vila melhor só pode ser o objectivo de todos os homens e mulheres que amam Alcáçovas e de forma alguma esse objectivo pode ser fonte de desunião o de desacordo entre os mesmos.

 

 

rmgv

  

 

publicado por alcacovas às 18:22
| comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 7 de Junho de 2006

Notícias de Alcáçovas

Para não escrever só sobre economia e política trago-lhes algumas notícias do SCA.

O Torneio  de futsal terminou a sua primeira fase, séries, com o apuramento das seguintes equipas:

Série A - 1º GERMANO (Outeiro),    9 pontos

                 2º Torpedo (Torrão),          7 pontos

Série B - 1º P MORITA (Alcáçovas) 12 pontos

                 2º Printalentejo (Viana)      9 pontos

Hoje jogam-se as meias finais e no Sábado, a partir das 21.00 H, serão os jogos para apurar o 3º e depois o vencedor.

Melhor marcador: Rui Ribeiro (Peixe) da Printalentejo, 13 golos,

Guarda-redes menos batido: João Carvalheira, do Torpedo, 7 golos sofridos.

Taça Disciplina : Printalentejo.

Melhor jogador: Hélio Borges, do P Morita

- FESTA DO EMIGRANTE

Dias 30 deste mês e dias 1 e 2 de Julho realizam-se os já tradicionais festejos populares em honra dos nossos emigrantes. 

- CAMPEONATO do MUNDO

No novo salão do SCA serão projectados em ecrã gigante todos os desafios transmitidos pela nossa TV, sejam da SIC ou sejam da SportTV , começa no Sábado, dia 10.

- 2º TORNEIO de FUTSAL INFANTIL

No SCA a partir do próximo do próximo dia 24, à noite.

AC

publicado por alcacovas às 22:13
| comentar | ver comentários (1)

Publicado por:

André Correia (AC); António Costa da Silva; Bruno Borges; Frederico Nunes de Carvalho; Luís Mendes; Ricardo Vinagre.

Posts recentes

***

“Alcáçovas Vila Global”

Inauguração da obra de Re...

Recordação do nosso Blog:...

Há 6 anos atrás começou a...

Vitória

Um brinde à Arte Chocalhe...

O Fabrico de Chocalhos já...

Mostra de Doçaria de Alcá...

Para onde vamos?

Arquivos

Outubro 2016

Agosto 2016

Fevereiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Blogs

Visitas a partir de 5/3/2006

De onde nos visitam?

outils webmaster
contador

Pesquisar neste blog